Olá! Como vocês estão? Tive um dia incrível hoje, e estou extremamente feliz, o que, em parte, se deve ao fato de que fui ao cinema conferir a continuação de um dos meus filmes/livros favoritos, que é Alice Através do Espelho. Não percam tempo e assistam (vão entender a referência se já viram a adaptação, rs), ou, se já assistiram, sintam-se a vontade para comentar sobre o que acharam também! Eu, particularmente, adorei o tema, os trocadilhos, a moral da história, e a Mia Wasikowska. E, enfim, todo o resto.
Mas, um dia sempre pode melhorar, principalmente se livros e pessoas que os amam estiverem envolvidos! Por isso, lembrei que não podia deixar de mostrar o que chegou para mim da editora Arqueiro




Vocês já devem ter lido a resenha de O Príncipe dos Canalhas, e espero que eu tenha dado um gostinho do que é a a história, mas, dessa vez, gostaria de chamar a atenção para Perdido em Marte, que é o livro que estou lendo no momento. Logo, sairá minha opinião sobre ele aqui no blog, não percam! Vou tentar terminar de lê-lo, e então resenhar, até o fim de semana.
Tentei usar objetos vermelhos nas fotos, em homenagem a... bem, Marte, e espero que tenha funcionado, ao menos um pouco, haha. Também recebi alguns marcadores das editoras, quase todos referentes aos lançamentos de maio. Quem sabe eu não adicione alguns ao sorteio? Vou pensar com carinho, prometo. Até mais!

Um ano passa muito rápido, né?! Eu tenho o Livros & Chantilly faz 2 anos, que mais parecem 2 meses, rs. Mas, não é o meu blog que está comemorando algo dessa vez, e sim o da Midian, o Tordo de Morango, que vai festejar o seu primeiro ano completo na blogosfera - parabéns por essa conquista, Midi!

Para a data não passar em branco, a Midi resolveu fazer um tão-conhecido-e-amado-por-todos sorteio, e eu, assim como outras colegas blogueiras/parceiras, não podíamos deixar de participar. São muitos prêmios legais, entre livros e marcadores (alguns deles até autografados!), mas, antes de todo mundo se inscrever para participar, aqui vão as famosas regrinhas:




a Rafflecopter giveaway


O L&C está colaborando no Kit 1, mas não se acanhem, viu, inscrevam-se nos dois, para terem ainda mais chances de ganhar algum prêmio, lindos! E, especialmente em honra do blog da Midi, que a sorte esteja sempre ao seu favor.

Adoro ficar no meu quarto. Tipo, mesmoSei que ele não é o quarto mais incrível do mundo, ou mesmo aquele que eu gostaria de ter no momento, entretanto, mesmo com os seus probleminhas, é o que posso chamar de meu espaço. E, nada melhor do que deixar aquele cantinho, que é só seu, com a sua cara, não é mesmo?
Não sei se já contei para vocês, mas é provável que tenham percebido por algumas fotos, postadas aqui no blog mesmo ou no Instagram, que eu tenho os pôsteres dos últimos dois filmes de Harry Potter, As Relíquias da Morte, Parte 1 e 2, emoldurados e pendurados na parede do meu quarto. Eles estão comigo desde 2011, quando a Parte 2 foi lançada, e não pretendo tirá-los de perto de mim tão cedo, rs. 
Contudo, as vezes, sinto falta de outras decorações. Como eu gosto de quartos espaçosos e com bastante personalidade, contudo que possuam um estilo um pouco mais clean, fica difícil saber o que eu poderia fazer para transformar ele - e, infelizmente, mudar os móveis de lugar não é uma opção. Portanto, agora, vamos fingir que temos o quarto dos sonhos e podemos mobília-lo exatamente como os que iremos ver abaixo.



Aqueles quartos da Alice simplesmente me deixaram maluca. Que bom que somos todos loucos aqui, não é? Mas, pessoal, não é só isso não. Sei que a maioria dos leitores, assim como eu, não tem como fazer um makeover completo nesse momento, então vou deixar aqui outras ideias acessíveis e lindas, para você que quer deixar o seu quarto ainda mais literário (não esqueçam que os livros na estante contam também, e muito, haha).



Almofadas são baratas, fofinhas, gostosas de abraçar e fáceis de fazer, caso você não queira comprá-las. Não existe nada de negativo em almofadas. Elas são lindas, e podem ter qualquer estampa, ou até mesmo qualquer forma desejada, como a de algum personagem.



Outra decoração que eu adoro: também têm um custo baixo e não são necessariamente permanentes. Podem ser trocados com mais frequência, e se consegue efeitos lindos, dependendo do modo como você cola o adesivo na parede.



Não achei frases literárias para representar essa categoria, mas com essas imagens, creio que vocês conseguem ter uma ideia. Escolham uma frase do seu livro favorito, peguem uma revista velha e um molde legal de letras - ou crie o seu próprio! - e voilà, uma versão (ainda) mais barata e colorida dos adesivos de parede.



Esses talvez sejam um pouco mais complicados de se obter, pois é legal que a imagem a ser usada seja impressa em um papel de qualidade e tenha uma moldura legal, além de que, é necessário, na maioria dos casos, furar a parede. É quase um pecado falar disso na minha casa, porém, se vocês podem colocar um prego no seu quarto, não há porque não fazê-lo! Caso não queiram comprar um quadro, podem usar esse DIY da Midian, e aprender como ela fez o seu próprio quadro de A Seleção, o azul, que é uma graça.



Acho que esse tipo de ornamento, além de ser muito variado, fala por si, é só usar a criatividade. Além de Funkos, que são bem populares no momento, esses objetos também podem ser uma simples xícara, que faz alusão a uma de suas séries favoritas, um bichinho de pelúcia no formato de um hipogrifo ou, quem sabe, a réplica de uma espada de Game of Thrones. Depende de você.


Bom gente, acho que eu já vou indo. Não sei, fiquei com uma vontade estranha de reorganizar o meu quarto agora... espero que tenham gostado do post, e vida nova aos seus cantinhos!
OBS: não me peçam como colocar luzinhas no seu quarto. Eu sou uma negação com luzinhas e tomadas para plugá-las. Se alguém souber o grande segredo da colocação de luzinhas, me contem, por favor.


Título Original: Lord of Scoundrels

Série: Canalhas (Livro #1)

Autor(a): Loretta Chase

Editora: Arqueiro

Número de Páginas: 288

Ano: 2015



Lorde Dain perdeu a esposa e seus quatro filhos para o tifo, uma  doença infecciosa que causa febre alta e erupções cutâneas. Mesmo que já não fosse tão jovem, era o atual patriarca de uma linhagem muito rica e distinta, os Ballisters, e se esperava que ele gerasse outro herdeiro, para, futuramente, cuidar dos bens da família. Quando Lorde Dain desposa a filha de um nobre florentino, chocando a todos, devido às origens da moça, ele espera que ela seja dócil e o obedeça cegamente, o que se prova uma vã expectativa. A garota é mimada e exigente, porém, no final das contas, acaba cumprindo seu dever para com o casamento: gera o herdeiro de Lorde Dain.

O récem-nascido, porém, tem um nariz enorme, e é tão feio e desproporcional que Dain custa a acreditar que é mesmo o seu filho. Mas a marca de nascença em uma das nádegas do bebê não mente: aquele é o herdeiro que pelo qual o Lorde tanto ansiava. A criança, batizada de Sebastian, mal teve contato com o pai durante a infância, e as únicas demonstrações de afeto que lhe foram proporcionadas vieram da mãe. Desde pequeno, acreditava que havia algo de errado com ele, pois não era parecido com as figuras que via nos livros ou pinturas, exceto os diabinhos.

Quando o garoto tinha 8 anos, sua mãe lhe disse que iria viajar por algum tempo, mas logo, ele descobriria que era para nunca mais voltar. Assim que seu pai o chamou ao escritório para conversar, o jovem Sebastian ouviu sua mãe ser chamada de Jezebel, uma criatura maligna e demoníaca, e foi despachado, o mais rápido possível, para uma escola. E, na instituição, ele aprendeu de tudo, menos como ser um lorde prestigioso. Os garotos de lá só pararam de importuná-lo quando ganhou uma briga que teve com outro dos estudantes. Havia se tornado o demônio em pessoa, tanto por dentro quanto por fora.

Algum tempo depois de entrar na escola, foi informado de que sua mãe havia morrido, e, anos depois, o mesmo aconteceu com seu pai. Agora, Sebastian era o Lorde Dain, mais conhecido como Lorde Belzebu, e apesar de ser um libertino, aprendeu como cuidar de suas propriedades e fazer o dinheiro se multiplicar. Responsabilizou-se, e muito bem, pelo patrimônio que herdou, e também conquistou o que poderia se chamar de "amigos". Ou, melhor dizendo, companheiros de farra.

Um desse amigos é Bertie Trent, um nobre inglês, porém, de cabeça fraca. Quando a má influência de Dain começa a prejudicá-lo, tanto pessoal quanto financeiramente, quem vem em seu socorro é a irmã, Lady Jessica Trent, acompanhada da avó. Contudo, ela não é nada parecida com o que se espera de uma moça do século XIX: sabe negociar e barganhar, é inteligente, sonha em comandar o próprio negócio e atira melhor do que muitos homens. E, também, acabará fazendo o que nenhuma dama respeitável daquela sociedade se atreveria a fazer: se envolver com Lorde Dain.



Nada contra romances históricos, mas eu sempre os achei um pouco clichês. Uma protagonista feminina forte e um nobre rico carrancudo (ou até mesmo algum plebeu) se apaixonam, contra todas as expectativas. Não vou dizer que O Príncipe dos Canalhas foge dessa fórmula, mas consegue seguir ela de uma forma única. Foi uma ótima experiência no quesito romance de época. Além de ser bem escrito, o humor do livro é muito bom, mesmo. Não teve um só capítulo em que eu não ri de alguma frase ou situação, principalmente as provocadas pela Jessica. 

E, sério, quem não gosta de ver aquele cara, segundo a própria autora, canalha se apaixonar? Acho que é muito legal ver a mudança que o amor pode provocar em alguém, ao menos, sei que eu adoro ler sobre isso. Tudo bem que o romance aconteceu meio rapidamente, o que, de certa forma, já era esperado, pois a obra é um romance e a Loretta queria apresentar aos seus leitores cenas de paixão, além das conversas bem-humoradas e do cenário de época, mas ele poderia ter sido mais bem explorado.

Falando no pano de fundo que O Príncipe dos Canalhas nos traz, simplesmente adorei a narração feita de Paris e dos arredores. O mais interessante de tudo, talvez, é que não foi criado um cenário totalmente idílico, alguns dos problemas daquela época, até mesmo, foram expostos. Confiem em mim: essa paisagem, mesmo que um pouco suja, é encantadora, à sua própria maneira. O melhor é que não são apenas as cidades que foram bem descritas, e sim o livro inteiro. Fazia tempo que eu não lia uma obra com tanta avidez assim.

Os personagens são bem caracterizados, mesmo que seja difícil crer que uma dama tão independente como a Jessica possa ter vivido no século XIX. Eu, certamente, espero que isso tenha acontecido, mesmo que em uma escala menor. Ela, com certeza, seria uma amiga surpreendente. Sebastian também não é tão mau e devasso quanto gosta de pensar que é, e os dois levam a história inteira muito bem. Só é uma pena que os personagens secundários não tenham tido a devida atenção que mereciam, no máximo, os seus 15 minutos de fama, quando poderiam ter sido melhor desenvolvidos.

Achei a capa de O Príncipe dos Canalhas linda, mesmo que não seja uma representação acurada de Jessica e Dain. Pelo menos, o vestido da modelo é levemente pavoroso - uma das minhas novas palavras favoritas. Os capítulos tem o tamanho certo, e, embora sejam corridos (no caso, um novo capítulo começa logo abaixo do anterior), acabei me acostumando com esse tipo de diagramação. Também é muito bom o fato de que o livro tenha vários pontos de vista, e, acredito que a essa altura, vocês já sabem o quanto eu adoro isso. Enfim, mal posso esperar para ver o que nos aguarda no próximo volume!


Achei que esse dia nunca chegaria. Pensei que era um mito, algo que só acontecia com as outras pessoas, mas não. Semana passada, acabou o espaço que eu tinha para guardar livros na estante. Quem me acompanha no Instagram também (se quiser seguir, é só clicar aqui), sabe que eu precisei começar a colocar meus livros em cima da minha TV, pois não tinha outro lugar disponível para eles. Felizmente, dei um jeito nisso.
O que aconteceu se resume em: agora, eu não tenho mais televisão no meu quarto - o que nem chega a ser algo tão negativo, já que a antena não era das melhores, e por esse motivo eu não ligava ela muito. Porém, acho que os prós superam os contras dessa vez. Claro, vou sentir saudade dos bons momentos que eu passava jogando Playstation 2, há alguns anos atrás, entretanto tenho um bom espaço a mais para colocar os meus livros, e minha estante ficou um pouco mais clean.


Para ser sincera, não gostei muito de como ficou a arrumação da segunda prateleira de vidro, mas, se eu fizesse alguma mudança, estragaria a ordem que eu lutei tanto para manter. Antes, os meus livros eram separados por cores, e eu adorava o arco-íris que via todos os dias, porém, acabei enjoando um pouco daquele degradê e resolvi mudar para algo mais prático. 
Depois de pensar muito, decidi que organizaria meus livros exatamente nessa ordem: séries completas lidas (aquelas que eu tenho todos os volumes), séries incompletas lidas (as quais eu não tenho todos os volumes, mas li a série), livros únicos lidos, séries completas não-lidas, séries incompletas não-lidas e, por fim, livros únicos não-lidos. Desse jeito, os títulos que eu ainda não li ficam logo ao meu alcance.
Gostei, principalmente, da organização dos livros no espaço onde ficava a TV. Dei um jeitinho para que eles formassem um arco-íris, pois sabia que acabaria ficando com saudades da estante rainbow, e ainda sobrou um espaço considerável  para colocar minhas bolsas e outros apetrechos. E, claro, mais livros. 
Também adicionei à minha estante uma xícara - infelizmente, quebrada - de Harry Potter, com alguns marcadores e enfeites dentro, e os aparadores de homenzinhos, que ganhei de Páscoa. Gostaram do novo arranjo? Ou mudariam alguma coisa? Não esqueçam de me dizer o quê, quero minha estante o mais bonita possível, haha.

Quem diria que já faz 5 meses que 2016 começou? O tempo está passando muito rápido mesmo, com diferentes coisas para fazer, tanto que eu não consigo manter a frequência de postagens no blog que costumava. Até a quantidade de livros lidos por mim diminuiu consideravelmente esse ano - entretanto, não entendam essa frase de um jeito errado: eu continuo lendo muito, mas, nem sempre são obras publicadas por alguma editora. Sim, fanfics e afins, hahaha.
Mas, fora isso, estou conciliando as coisas que é uma maravilha (acho que eu poderia considerar isso um dos meus talentos, haha). As parcerias estão indo muito bem também, e estou apenas esperando os livros chegarem para trazer mais algumas resenhas para vocês! Porém, enquanto isso não acontece, vamos ver os lançamentos?

Confissões de uma Garota Excluída, mal-amada e um Pouco Dramática - Thalita Rebouças


Tetê acaba de se mudar com a família toda para Copacabana, no Rio de Janeiro, para a casa dos avós. O lindo e espaçoso apartamento da Barra da Tijuca em que morava teve que ser vendido, pois com a crise o pai foi demitido, e o resultado é que a vida dela virou de cabeça para baixo. Além de perder a privacidade, tendo que dividir o espaço com cinco parentes malucos que brigam o tempo todo, ela perdeu todas as suas referências. A única coisa que a deixa feliz é cozinhar. E, claro, comer as delícias que faz.
O lado bom foi se livrar do antigo colégio, no qual sofria bullying por causa de seu jeito peculiar. Sem contar sua desilusão amorosa... O problema é que ela está apavorada, porque agora tudo será novo e estranho, com o ensino médio, com a nova escola, e sem conhecer ninguém. E morre de medo de ser excluída ou de sofrer bullying novamente. Ela está bem mal, para dizer a verdade. Ou talvez seja um pouco de drama, porque já no primeiro dia as coisas parecem ser um pouco diferentes... Pelo jeito, tudo vai mudar, e para melhor.

Não Fale Com Estranhos - Harlan Coben


O estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. Sua identidade é desconhecida. Suas motivações são obscuras. Mas suas revelações são dolorosamente incontestáveis.
Adam levava uma vida dos sonhos ao lado da esposa, Corinne, e dos dois filhos. Quando o estranho o aborda para contar um segredo estarrecedor sobre sua esposa, ele percebe a fragilidade do sonho que construiu: teria sido tudo uma grande mentira?
Assombrado pela dúvida, Adam decide confrontar Corinne, e a imagem de perfeição que criou em torno dela começa a ruir. Ao investigar a história por conta própria, acaba se envolvendo num universo sombrio repleto de mentiras, chantagens e assassinatos.
Intrigante e perturbador, Não Fale Com Estranhos é mais que um suspense de tirar o fôlego. É uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras.

O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias (Capa Dura) - Douglas Adams


Pela primeira vez, reunimos em um único volume os cinco livros da cultuada série O Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams.
Com mais de 15 milhões de exemplares vendidos, a saga do britânico esquisitão Arthur Dent pela Galáxia conquistou leitores do mundo inteiro. O humor ácido e as tramas surreais de Douglas Adams se tornaram ícones de uma geração e seguem fascinando - e divertindo - leitores de todas as idades. Pegue sua toalha, embarque nessa aventura improvável e, é claro, não entre em pânico!

Sedução da Seda - Loretta Chase


Talentosa e ambiciosa, a modista Marcelline Noirot é a mais velha das três irmãs proprietárias de um refinado ateliê londrino. E só mesmo seu requinte impecável pode salvar a dama mais malvestida da cidade: lady Clara Fairfax, futura noiva do duque de Clevedon.
Tornar-se a modista de lady Clara significa prestígio instantâneo. Mas, para alcançar esse objetivo, Marcelline primeiro deve convencer o próprio Clevedon, um homem cuja fama de imoralidade é quase tão grande quanto sua fortuna.
O duque se considera um especialista na arte da sedução, mas madame Noirot também tem suas cartas na manga e não hesitará em usá-las. Contudo, o que se inicia como um flerte por interesse pode se tornar uma paixão ardente. E Londres talvez seja pequena demais para conter essas chamas.
Primeiro livro da série As Modistas, Sedução da seda é como um vestido minuciosamente desenhado por Loretta Chase: de cores suaves e românticas em alguns trechos, mas adornado com os detalhes perfeitos para seduzir.

O Mensageiro - Lois Lowry


Há seis anos, Matty chegou ao pacato Vilarejo. Sob os cuidados de Vidente, um cego que tem uma visão especial, ele amadureceu e se adaptou à nova vida. Agora, espera receber seu nome verdadeiro, que determinará seu valor ali, como ocorre com todos os habitantes.
Contudo, algo nefasto está se infiltrando no Vilarejo, e os moradores, antes orgulhosos de receber forasteiros, passam a exigir que as fronteiras sejam fechadas para se protegerem.
Por ser um hábil mensageiro, Matty é encarregado de avisar os outros povoados sobre o bloqueio. Sua missão também tem outro grande objetivo: buscar Kira, a filha de Vidente, antes que seja tarde demais.
Ele é o único capaz de viajar pela Floresta, que já provocou algumas mortes. O problema é que ela também está se tornando um lugar perigoso para o garoto. Mas muitos dependem de Matty. Então, armado apenas de um poder recém-descoberto, ainda incompreensível e incontrolável, ele se arriscará a fazer o que talvez seja sua última viagem.

Os Tambores do Outono - Diana Gabaldon


Será possível alterar o passado?
Depois de voltar no tempo à Escócia do século XVIII e reencontrar Jamie Fraser, o amor de sua vida, Claire Randall seguiu com ele para o Novo Mundo. Agora eles moram na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, e Jamie, com o auxílio da misteriosa e autoritária Jocasta Cameron, conseguiu tornar-se uma pessoa influente. As coisas finalmente parecem estar entrando nos eixos.
Duzentos anos à frente, a filha dos dois, Brianna, encontra um recorte de jornal antigo e descobre que Claire e Jamie morrerão em um incêndio. Isso, somado à sua curiosidade em relação ao pai biológico e à saudade que sente da mãe, faz com que deixe o namorado para trás e se lance através do círculo de pedras em uma aterrorizante jornada rumo ao desconhecido. Para salvar a vida daqueles que ama, ela tentará mudar o passado, mesmo que isso signifique colocar em risco o próprio futuro.
Assim que fica sabendo o que a namorada fez, Roger Wakefield abandona seu emprego de professor e decide segui-la. Mais uma vez, a força do amor ultrapassa obstáculos, vencendo tempo e espaço, e dá início a uma nova e fantástica fase nesta saga antológica.
Na segunda parte de Os Tambores do Outono, Diana Gabaldon conta as aventuras de uma jovem destemida no atribulado século XVIII. Unindo sentimentos atemporais como culpa, raiva e amor a uma cuidadosa pesquisa histórica, a autora constrói uma trama inesquecível, com reencontros de tirar o fôlego e um desfecho emocionante.

Ganhar, Gastar, Investir - Denise Damiani


Ganhar mais. Gastar menos (e melhor). Investir com inteligência. É o que todas nós queremos.
Só que a relação com o dinheiro é complexa e nem sempre racional. Na hora de investir, é comum duvidar da própria capacidade de entender o jargão das aplicações e preferir delegar isso a alguém ou até mesmo adiar o assunto.
Você não está sozinha. Muitas mulheres não lidam bem com essas questões e não têm consciência dos comportamentos que atrapalham seu sucesso financeiro. Mas dinheiro deve ser sinônimo de liberdade, e somente uma mudança de atitude levará
a uma vida mais livre e confortável.
Este livro reúne todos os conceitos que você precisa aprender para administrar seu dinheiro com eficiência e oferece orientações para temas delicados como casamento e divisão de gastos, maternidade e trabalho.
O desafio de tomar as rédeas de suas finanças se torna mais leve e até divertido em boa companhia e com as ferramentas certas. A companhia você providencia. As ferramentas ficam por nossa conta.

Mais Forte Do Que Nunca - Brené Brown


A ironia é que tentamos rejeitar nossas histórias difíceis para parecermos mais plenos ou mais aceitáveis, mas nossa plenitude depende, na verdade, da integração de todas as nossas experiências, inclusive as quedas. Brené Brown
Errar faz parte da vida. Se você correr riscos e for corajoso, mais cedo ou mais tarde poderá se dar mal. Às vezes aquele projeto em que estava apostando todas as fichas vai pelo ralo ou um casamento de muitos anos chega ao fim, deixando dor e muito sofrimento pelo caminho. Não importa: todos precisam aprender a lidar com o fracasso.
Apesar disso, temos medo de falar sobre o assunto. Conhecemos inúmeras histórias bonitas de superação, mas sempre há nelas uma espécie de lacuna: passa-se diretamente do infortúnio à vitória e o doloroso processo que nos leva de um ponto a outro nem sequer é mencionado.
Tomando como ponto de partida seu trabalho pioneiro sobre a importância da vulnerabilidade, em Mais forte do que nunca, a pesquisadora Brené Brown faz a pergunta inevitável: se todos nós levamos rasteiras da vida, como certas pessoas conseguem enfrentar tantas adversidades e, mesmo assim, sair mais fortes?
Para responder a isso, a autora conversou com inúmeras pessoas, coletou dados e passou a compreender melhor a volta por cima. Neste livro, você vai aprender quais são as características de personalidade, os padrões emocionais e os hábitos mentais que nos possibilitam transcender as catástrofes da vida e renascer não totalmente ilesos, porém mais plenos e realizados, vivendo com mais propósito e significado.

O Último Sopro de Vida - Paula Kalanithi


Aos 36 anos, Paul Kalanithi foi diagnosticado com um câncer incurável. Neurocirurgião brilhante, de repente se viu diante de uma cruel inversão de papéis: num dia era o médico tratando de pacientes com problemas graves, no outro era o paciente lutando pela própria sobrevivência.
O último sopro de vida narra a trajetória de Paul ao longo do tratamento a descoberta da doença, a esperança de uma possível remissão, a incerteza quanto ao futuro, a decisão de se tornar pai, a consciência do fim, a angústia de se despedir da vida antes da hora.
Sua narrativa é honesta, pungente. Mas, ao mesmo tempo, poética e delicada. Amante da literatura e da filosofia, Paul desde sempre buscou entender a relação entre a vida e a morte, a identidade e a consciência, a ética e a virtude. Seus questionamentos profundos encontram eco em nossas próprias reflexões: afinal, o que faz a vida valer a pena?
Paul morreu em março de 2015. Deixou como legado uma filha de oito meses e o manuscrito inacabado deste livro. Quem escreveu as páginas finais e encaminhou o texto para publicação foi sua esposa, Lucy, atendendo ao último desejo do marido.

Lava Jato - Vladimir Netto


Em Lava Jato O juiz Sergio Moro e os bastidores da operação que abalou o Brasil, o jornalista Vladimir Netto acompanha as investigações desde seu início, em março de 2014, e, como num livro de suspense, vai revelando, pouco a pouco, os principais desdobramentos que expuseram o maior escândalo de corrupção do país. À medida que a operação avança, vamos descobrindo quem são os personagens-chave desse processo doleiros, dirigentes da Petrobras, políticos e empreiteiros e como se articularam para desviar bilhões dos cofres da estatal. Para traçar o perfil do juiz Sergio Moro, fio condutor desta história, o autor se debruça sobre seu trabalho: o vasto conhecimento técnico, as perguntas meticulosas, as sentenças fundamentadas e a coragem de enfrentar a pressão de advogados de renome. Repleto de informações de bastidor, ligações perigosas e diálogos de um cinismo impensável, este grande livro-reportagem, com ares de trama policial, é um registro histórico do conturbado período que o Brasil atravessa.









Gente, tem tantos lançamentos bons que eu nem sei qual gostaria de ler primeiro. O Confissões, da Thalita, será um dos meus próximos pedidos, com certeza, pois basicamente cresci com a Malu e seus Fala Sérios. Não gostei muito de O Mochileiro das Galáxias, mas esse livro com capa dura tem o seu charme para me fazer mudar de opinião, com certeza, hahaha.
Também queria muito ler o primeiro livro da série Timeless, mas não sei se será possível, pois não é mais um lançamento. Porém, quão linda é a capa de A Guardiã do Tempo? Amo esses efeitos brilhantes, rs.
Quais os lançamentos de maio que vocês mais gostaram? Vou fazer o possível para resenhar aqueles que mais aparecerem nos comentários!



Título Original: Princess Versus Witch

Autor(a): Lhaisa Andria e Paula Vendramini

Editora: Modo (Selo Lumus)

Número de Páginas: 273

Ano: 2015



A Floresta dos Sem-Volta é o lar de várias criaturas sobrenaturais, muitas das quais foram banidas de suas casas ou expulsas de um dos reinos: o do Sol ou o da Chuva. Entre as árvores, bruxas, vampiros, fadas e outras espécies de seres místicos vivem em uma relativa harmonia, instituída, com muito esforço, por Burildamar, uma das bruxas mais sábias e poderosas de ambos os reinos. Porém, quando ela decide tirar uma folga, viajar e conhecer outras terras, e deixa sua aprendiz, Majori, como sendo a bruxa no comando, não faz ideia de que essa paz não durará por muito tempo.

Majori mora na Floresta dos Sem-Voltas desde bem pequena, junto com Burildamar e o corvo de estimação delas, Mui, na Mais-do-que-Velha-e-Gigante, uma árvore, como o próprio nome já diz, enorme. Apesar de nem sempre acertar no preparo de poções, ela sabe fazer pirulitos como ninguém, e adora manter o lugar onde vive sempre organizado. Majori seria como qualquer outra bruxa de 18 anos, se não tivesse sido amaldiçoada quando criança, ganhando, por consequência, uma marca de maldição: cabelos roxos. 

Quando Burildamar sai em viagem, Majori aproveita para dar um passeio no Reino da Chuva, que fica perto da Floresta. Ela gosta de ir até a cidade para comprar novos ingredientes, tanto para suas poções quanto para receitas de doces, e ver a chuva, obviamente, que adora. A jovem bruxa, contudo, precisa dar suas escapadas escondida, já que a entrada de Sem-Voltas em qualquer um dos reinos é proibida. Isso não é um problema para Majori, que se esconde embaixo de seu manto e passa despercebida, por vezes, até escutando a conversa de outras pessoas. O que ela não esperava ouvir nesse dia, é que a princesa Yuria, do Reino da Chuva, estava prestes a se casar com o herdeiro do Reino do Sol.

O noivado da princesa não afetaria Majori, se ele fosse com qualquer outra pessoa que não o herdeiro do Reino do Sol. Mas o caso era exatamente esse, e ela correu de volta para casa, já pensando em como poderia evitar esse acontecimento. Porque nada seria pior para a bruxa aprendiz do que ter o sol brilhando no Reino da Chuva, exatamente o que aconteceria se o príncipe se casasse com Yuria e morasse lá, permanentemente. Majori, então, dá início a um plano: uma poção que a fará trocar de lugar com a princesa, e permitirá que ela arruíne o compromisso. Entretanto, essa estratégia trará consequências para si e seus amigos que ela nunca poderia ter imaginado.



Eu não planejava demorar tanto para escrever essa resenha, mas comecei a ter alguns trabalhos e provas na faculdade, e acabei me atrasando um pouco com essa postagem do blog, rs. Vou tentar evitar que aconteça de novo, prometo! Bem, como vocês já devem ter visto nas informações sobre o livro, ali em cima, Princess VS Witch é escrito por duas autoras nacionais, a Lhaisa e a Paula - elas são responsáveis pelo selo Lumus, que só publica fantasia nacional. Estou falando pois, alguém que nunca tenha ouvido falar da obra pode pensar que ela é estrangeira, devido ao título.

Além do título não parecer brasileiro, talvez ele também possa dar uma ideia errada do que é a história, ou seja, uma princesa e uma bruxa, lutando por algo ou até mesmo em guerra. Porém, garanto que não é assim, tanto que vocês não viram nenhuma menção à palavra briga na resenha, haha. O interessante, é que todos os capítulos do livro possuem nome, não apenas números, e eles seguem o padrão de Princess Versus Witch, no caso, é sempre "alguém vs. algo", ou vice-versa.

Antes de começar a ler Princess Versus Witch, eu pensei que ele seria um livro mais infanto juvenil, mas, agora, acredito que pessoas de qualquer idade gostariam de lê-lo. A trama foi um pouco corrida, os parágrafos, em sua maioria, são bem curtos, - o que até é bom em certos aspectos, porque torna a leitura mais dinâmica - e nem sempre muito bem explicada, mas a história, no geral, é bem legal, e bastante diversificada. Chega a parecer o roteiro de um filme; as imagens passam pela sua cabeça, conforme as páginas são viradas.

Os personagens são o mais incrível da história inteira. Eu queria botar todos em uma sacola e levar para casa. Bom, quase todos. A Majori é um tanto fora do comum, mas não é nem um pouco menos querida por causa disso. Vou dizer que quase entendo o que ela fez, querendo mandar o príncipe herdeiro do Reino do Sol embora, porque só queria chuva, mas talvez, só talvez, ela estivesse sendo um pouquinho exagerada. Yuria é a não-tão-típica-assim princesa mimada. E grande parte das cenas engraçadas ficam por conta do Morfeu (que, sim, deveria ter tido mais aparições na história!), um vampiro, amigo da Majori, que é a coisa mais gracinha dos reinos. E não sabe disso. Ou talvez tenha uma ideia.

O livro conta com vários pontos de vista, o que eu considero algo muito positivo, já que adoro saber o que os diferentes personagens estão pensando, e também nos permite ter uma visão mais ampla do que está acontecendo na história. Enfim, se vocês querem uma fantasia nacional, para se divertirem lendo no fim de semana - o que eu acabei fazendo, por sinal -, Princess Versus Witch é o livro certo. Poucos seres sobrenaturais não foram citados na obra, com certeza você vai acabar criando afinidade com algum deles.


Um docinho, em homenagem à Majori e a mim, que somos verdadeiras formigas.