Eu sempre soube que o mundo iria acabar assim. Nada dessa baboseira de cometas, maremotos ou zumbis em que nos fizeram acreditar - as quais, por sinal, não são  teorias nem um pouco criativas. O verdadeiro motivo pelo qual a vida na Terra será extinta são os Gritos.
Assim que todos os sites e canais de televisão anunciaram uma nova arma, incrivelmente poderosa, projetada pelo governo japonês, que poderia matar lançando frequências sonoras extremamente nocivas para o ser humano, meu pai falou que aquilo ainda acabaria causando o apocalipse. 
Ele é otorrino, então sabe do que está falando. 
Só não esperávamos que uma guerra envolvendo essas armas acontecesse tão rápido. Quando os russos tentaram criar um equipamento parecido com o CB-221 fabricado no Japão, falharam miseravelmente, matando 32 de seus funcionários. Então, a solução óbvia do governo Russo foi: vamos invadir o Japão
Bem, acontece que os russos não apenas invadiram o Japão e roubaram o projeto da CB-221, como também começaram a produzir essa arma em massa. Portanto, todos aqueles com dinheiro suficiente para comprar um iate pequeno também poderiam adquirir a arma sonora sensação do momento
A CB-221 não apenas mata qualquer pessoa - com um canal auditivo - que esteja em um raio de 150 metros, como também fere gravemente aqueles que não estejam mais de 200 metros distantes quando alguma delas for disparada. Em suma, é uma arma de grande alcance, que mata rapidamente e muitas pessoas de uma vez só. O equipamento perfeito para começar uma guerra por poder e territórios, e foi exatamente isso o que as potências da época fizeram. Mas, claro, não antes de achar uma maneira segura para atiradores dispararem-na. 
A solução, depois de muitos testes que deram errado, foi apresentada por um cientista indiano: um comprimido, que, após ingerido, desligaria o sistema auditivo dos soldados por 2 horas. É impressionante a destruição que um exército carregando CBs-221 pode fazer em apenas 2 horas. E foi assim que, em média, mais de metade da população humana foi dizimada pelos Gritos
O engraçado, vejam só, é que a CB-221 não emitia som. Chamá-las desse jeito era apenas uma ironia criada por mim e meu pai. Você poderia estar simplesmente sentado na varanda da sua casa e, no próximo segundo, caído no chão, com as orelhas sangrando e, bem, morto. Pessoas que conseguiram escapar de ataques em cidades grandes, e sobreviveram para contar história, nos disseram que a morte após o disparo da arma era instantânea. Como se alguém tivesse desligado a vida que existia em um corpo, em pouco menos de um segundo.
Essa é a má notícia. Após exterminarem mais de 4 bilhões de indivíduos, os países em guerra perceberem que talvez aquela luta por poder e territórios não fosse assim tão importante - até porque, com a morte de metade da raça humana, vários países tinham, ou melhor, não tinham população remanescente e, por conseguinte, alguém que os governasse. 
A notícia ainda pior é que, aparentemente, um multibilionário de Nova Iorque achou que seria legal se ele fosse o único ser humano vivendo na terra. Ele tinha muito dinheiro, além de um ego obviamente enorme, então contratou um exército particular e comprou CB's-221 o suficiente para que, se uma delas se tornasse inutilizável, cada soldado tivesse pelo menos outras 50 armas disponíveis. E, assim que o número de pessoas foi diminuindo cada vez mais, até chegar a 650 mil, pela nossa estimativa, ele comprou uma pequena frota de aviões, adaptou os Gritos em cada um deles e matou o seu próprio exército. Agora, está viajando pelo mundo, certamente a altitudes nada adequadas, e usando seu arsenal de CB-221 para atirar em qualquer coisa que se mova.
Parece que o negócio de acabar com a vida na Terra era importante mesmo para o cara.
A boa notícia, é que eu e meu pai sobrevivemos até agora. Sinceramente, o interior do Brasil não é o pior lugar para morar quando o planeta inteiro está em colapso, mas eu realmente não gostaria de ter descoberto isso dessa forma. E digo eu e meu pai porque minha mãe nos abandonou, logo após o dia em que nasci. As vezes eu me pergunto se ela ainda está viva, ou se também foi morta por um Grito, como tantos outros. Mas, logo essa pergunta é substituída por outras mais urgentes, como "será que é hoje que um playboy narcisista vai sobrevoar a cidade onde estamos nos escondendo no momento, e atirar pulsos supersônicos para nos matar?".
Enquanto isso não acontece, aproveitamos tudo o que as cidades-fantasma tem para nos oferecer, principalmente os carros mais rápidos que pudermos conseguir. Achamos que assim teremos mais chance, se formos atacados algum dia. Papai diz que quer aprender a pilotar um avião além disso, mas primeiro precisamos chegar à algum aeroporto. Outras três pessoas viajam com a gente, um homem e duas mulheres, uma delas grávida. Um pastor alemão sem dono, que apelidamos de Sam, faz parte de nosso pequeno grupo também, e nos acompanha a todo lugar.
Nosso objetivo é impedir o magnata lunático de conseguir o que tanto quer. Sobrevivemos ao início fim do mundo até agora, porém não temos certeza se viveremos para vê-lo acabar.


Gente, primeiro de tudo: não confiem na veracidade das informações sobre sons, frequências e sistema auditivo desse texto. Eu tentei escrevê-lo de modo que tudo ficasse o mais verossímil possível, me baseando em alguns conhecimentos de física e na internet, rs, mas se algo que eu descrevi aqui não for, tecnicamente possível, lembrem-se sempre de que é ficção! Ou... quem sabe. Não tenham ideias, lindinhos, hahaha.
Espero que tenham gostado! Realmente, não sei de onde veio essa ideia, mas quem sabe o que se passa nessa minha cabeça aleatória? Só preciso mesmo agradecer à Midi, por me lembrar de que essa coluna existia.

6 Comentários

  1. Re!!! Mais um texto super bem inscrito e que transborda criatividade!!!
    Nunca ia pensar em gritos dessa forma hahaha. Hum, tem como você continuar a história? Publica no wattpad porque agora quero saber o que aconteceu com eles!!
    Beijos, querida e parabéns!!!!

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bá! Mais um comentário querido por demais, haha :3
      Pois é, o termo surgiu para mim justamente porque é uma palavra comum mas que ganhou um significado e "entonação" bem diferente, haha.
      Ai amada, foi só isso que eu planejei... acho que nem saberia como continuar, rs. Quem sabe um dia?
      Beijos e muito obrigada!

      Excluir
  2. Mulher de deus eu achei que era verdade,ate le o finalzinho do texto,tremi nas bases.kkkkkk ,adorei,depois quero saber da continuação!

    www.apenasjessica.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miga, sua louca, calma, hahahaha. Não, magina, se fosse eu já estaria escondida nos cantos mais remotos.
      Ai, continuação? Foi só isso que planejei, então não sei... mas quem sabe, né?

      Excluir
  3. Só tenho uma coisa a dizer: PRECISO DE UMA CONTINUAÇÃO.
    RENATA, QUERIDA, ISSO DÁ UM LIVRO! Hahaha. Adorei.
    Talvez eu seja a louca das distopias e futuros apocalípticos, mas que seja, eu adorei!

    Beijos,

    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GENTE, EU VOU FICAR LOUCA, ESSA É UMA DAS COISAS QUE EU MAIS TENHO OUVIDO NOS ÚLTIMOS TEMPOS, HAHAHA.
      Também sou a louca das distopias, por isso me arrisquei a escrever esse 642 Coisas de um jeito diferente :p
      Que bom que gostou Midi! Beijos!

      Excluir

Comentem, vou adorar saber o que acham do post e do blog! Sugestões são sempre bem-vindas, assim como você c: