Não sei vocês, mas uma das minhas redes sociais favoritas é o Instagram. Sempre tiro prints de fotos que eu gosto e até reposto algumas delas na minha conta. Como estou sempre atualizando o meu feed, a procura de novas postagens, acabo seguindo vários perfis e muitos deles, obviamente, são literários, assim posso ver as novidades, resenhas e, claro, babar muito em cima das imagens postadas. 
Então vem comigo conhecer alguns dos perfis literários no Instagram que você não deve deixar de seguir, principalmente se não tiver problemas em apenas olhar para todos aqueles livros lindos. E ficar com vontade de comprar alguns deles depois.








A maioria desses perfis são estrangeiros, mas também existem aqueles que apenas parecem sê-lo, como o @imapsychoreader, que na verdade é de uma brasileira. A conta que eu acompanho há mais tempo é a @infinitelynovel. Até repostei uma foto da estante dela, que é inspiradora! Ah, e para vocês acessarem cada Instagram, é só clicar na foto correspondente a ele. Horas de paixão por todas as fotos lindas e os livros são garantidas.
E não podemos esquecer do perfil mais importante de todos, né pessoal:



Brincadeirinha, haha. Mas não esqueçam de seguir o L&C no Instagram também, tem bastante coisa diferente por lá!


Título Original: The Sword of Summer

Série: Magnus Chase e os Deuses de Asgard (Livro 1)

Autor(a): Rick Riordan

Editora: Intrínseca

Número de Páginas: 448

Ano: 2015





Não existe presente de aniversário melhor do que descobrir que você é filho de um deus nórdico. E então morrer, lutando com um lorde do fogo. Ao menos é isso que acontece com Magnus Chase, que perdeu sua mãe faz 2 anos e vive nas ruas desde então, como um pedinte. Ele têm dois tios, Randolph e Frederick, porém o primeiro não é confiável, e o segundo nem foi avisado do que estava se passando com a família de Magnus. É isso o que o garoto pensa, até o dia em que é acordado por um de seus colegas sem-teto, avisando-o para sair de baixo da ponte onde estava, pois estão procurando por ele perto dali. 

Magnus logo acha que pode ser a polícia ou algum voluntário de um abrigo, porém quando vai averiguar descobre que, na verdade, quem está procurando por ele é seu outro tio, Fredrick. E ele não está sozinho. Junto do irmão de sua mãe, também se encontra a filha dele, Annabeth, prima de Magnus. Ele fica feliz de vê-los novamente, porém apenas escuta a conversa de seus parentes, escondido, já que sua mãe o aconselhou a não confiar em ninguém, especialmente no seu tio, Randolph. Entretanto, descobre que foi ele que contou a Frederick sobre a morte da irmã, tantos anos depois, e agora Magnus quer saber o porquê. 

Curioso, ele vai para a casa do tio menos favorito, à procura de respostas. Sabe que deve ser cauteloso, e consegue entrar na residência sem problemas. Magnus esteve na mansão apenas duas vezes em sua vida. O lugar lhe dá arrepios, ainda mais com os vários artefatos nórdicos que Randolph coleciona espalhados por todo o lugar, ou expostos, como que em uma vitrine. Enquanto procura por alguma dica no escritório dele, vê seu amigo Hearth, pela janela. Ele está sinalizando algo, porém quando Magnus estava prestes a interceptar os sinais, vê seu tio, parado na porta, e entende o que os gestos queriam dizer. Eram um aviso. 

Agora que já está com o tio, não tem como se esconder. Resolve ser direto e pede por respostas, entretanto, a única coisa que o homem de bengala lhe conta é que ele é filho do deus nórdico Frey. Como se isso não fosse nada de mais, Randolph ainda diz para Magnus que precisa da ajuda dele, o mandando entrar em seu carro. Como não tem muita escolha e quer saber mais sobre o que seu tio estava falando, a respeito de seu pai, ele o acompanha, mas fica surpreso quando estacionam perto da ponte Longfellow. Seu choque é ainda maior quando o tio manda Magnus tirar uma espada da água, precisando apenas estender a mão sobre a amurada e chamar a arma. E então, absolutamente estupefato quando isso realmente acontece. 

Depois de tantas coisas incomuns acontecendo naquele dia, ele ainda precisa lidar com outra: um gigante do fogo, que está atacando Boston. O ser sobrenatural quer a espada, mas Magnus sabe que não deve entregá-la à ele. Ao invés disso, luta com o monstro como pode e consegue matá-lo, contudo também acaba morrendo no processo. Porém nada poderia prepará-lo para o que aconteceria depois disso: sua entrada no Hotel Valhala, o lugar destinado a todos os vikings que morreram corajosamente em batalha. Talvez a vida de Magnus esteja apenas começando.


Como estou lendo muitos livros no aplicativo da Amazon, o Kindle, ultimamente, as fotos ficaram com esse aspecto meio... brilhoso. Desculpem!




Assim que vi no Instagram do tio Rick que ele lançaria um novo livro, sobre mitologia nórdica, há alguns meses atrás, já fiquei ansiosa. Thor é o meu super herói favorito, apesar de não podermos levar o porquê disso muito em conta, rs. Mas o que importa é que o Rick Riordan voltou a escrever, no seu melhor estilo Percy Jackson, ou seja, mitologia + salvar alguém/o mundo + ironia. Não posso negar que, durante a leitura, fiquei um pouco enjoada disso, apesar de gostar bastante ao mesmo tempo. A escrita dele é facilmente identificável, e isso traz uma sensação boa. Parece que tudo pode mudar, mas os livros dele serão sempre assim, o que traz um sentimento de conforto.

A Espada do Verão, além de parecer um pouco com a primeira série do autor por esses motivos, também traz referências a ela. Achei isso tão simples, mas ao mesmo tempo tão genial que resolvi compartilhar algumas dessas coisas com vocês. Por exemplo, o Magnus não gosta de azul e, em uma parte do livro, está escrito que a ideia de uma espada virar uma caneta é algo ridículo. Como lidar com isso? Rick é simples e incrivelmente arrojado. 

A história, mesmo que seguindo a velha fórmula de, basicamente, todos os outros livros dele, é original como sempre. O Hotel Valhalla é um lugar incrível, apesar de tanto ele quanto alguns dos outros 9 mundos terem proporções gigantescas, o que dificulta um pouco a imaginação dos fatos. Os personagens são muito carismáticos e foi uma jogada de mestre criar um primo para a Annabeth, pois assim ela, eventualmente, acabaria aparecendo no livro. E por mais que essas aparições sejam raras, valem a pena.

Além da Annabeth, claro que os novos personagens, mesmo que secundários, merecem destaque. Não vou dizer o que Blitz e Hearth são, para não estragar a surpresa, mas digamos que eles são uma espécie de Grover-duplo-nórdico para o Magnus. E uns fofos. A valquíria dele, Samirah, que o enviou para o pós-morte em Valhala, e seus colegas de corredor no Hotel são importantes acréscimos para a trama. Adoro que o Rick consiga criar personagens nada clichês, com suas próprias características, mesmo que não sejam marcantes.

É muito divertido ver como ele retrata Thor e Loki, e ressalto que só cito apenas esses deuses aqui pois são os únicos que eu posso comparar com algo. Odin aparece também, mas somente no final, e mais parece um avô bonachão do que um deus propriamente dito. E isso é demais. Também achei lindo e digno de menção o Rick ter dedicado o livro para a Cassandra Clare, por deixá-lo compartilhar o excelente nome Magnus. Existe autor mais querido?


Olá! Antes de mais nada, deixem-me sacudir a poeira aqui do blog. Não acredito que já fazem 6 dias desde que o último post do L&C foi ao ar. O tempo, literalmente, voa. Mas, novamente aqui estou eu hoje, decidida a mudar isso, para a alegria de todos.
Se tem algo que não pode faltar na vida de um leitor, é uma biblioteca. Inclusive, muitos começam a se apaixonar por leitura quando visitam uma, e tem carteirinha para retirar livros desde pequenos. É claro que você, provavelmente, deve adorar a biblioteca da sua escola ou a da sua cidade, mas também irá se apaixonar por essas belíssimas construções. É inevitável. Se prepare para querer visitar a(o):



A sua biblioteca é reconhecida como uma das mais ricas e antigas do mundo, dispondo da maior coleção de livros do início da Idade Média, na parte germânica da Europa. Atualmente, ela contém 170.000 livros. Destes, 50.000 estão alojados no salão barroco, onde a múmia egípcia Shepenese, de 2.700 anos de idade, também se encontra. O coração do acervo da Biblioteca da Abadia é composto por 2.100 manuscritos, dos quais alguns ficam à mostra em cada uma das seções de exposição. A abadia inteira foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1983.




Essa Biblioteca é parte de uma propriedade de franceses que também inclui uma das mais importantes galerias de arte da França. Ela contém mais de 1300 manuscritos e 12.500 obras impressas, incluindo a Bíblia de Gutenberg e cerca de 200 manuscritos medievais.


É a associação mais antiga criada pelos portugueses do Brasil após a independência de 1822. A sua sede, construída em estilo neomanuelino e que foi inaugurada pela Princesa Isabel em 1887, guarda cerca de 350.000 volumes (milhares de obras raras). Esse acervo maravilhoso está disponível a qualquer um do povo, pois o Real Gabinete é uma biblioteca pública. Ele funciona como centro de estudos e um polo de pesquisas literárias, dirigido e frequentado por professores universitários. Entre as obras raras do Real Gabinete figura um exemplar da edição princeps de Os Lusíadas, de 1572. Também possui em seu espólio o manuscrito do Amor de Perdição, obra do escritor português Camilo Castelo Branco.


Localizada em três edifícios na capital dos Estados Unidos, Washington, D.C., a Biblioteca do Congresso possui mais de 155 milhões de itens, incluindo materiais disponíveis em 470 idiomas, configurando a maior biblioteca do mundo em espaço de armazenagem e número de livros. Há de tudo em suas estantes, virtuais ou não: obras raras, os livros mais vendidos atualmente, quadrinhos de todas as procedências, papéis oficiais, veículos impressos, vídeos, discos, fotos, entre outros materiais, totalizando cerca de 130 milhões de itens distintos, apresentados em pelo menos 480 línguas. Entre seus valiosos volumes há inclusive um exemplar da Bíblia de Gutenberg.


A Biblioteca Nacional da Bielorrússia foi fundada em 15 de Setembro de 1922 e completamente reformada em 2006. É a maior biblioteca de Minsk e da Bielorrússia. Ela conta com 8.600.000 livros e tem a terceira maior coleção de obras russas do mundo. O atual diretor é Roman Motulski.


Projetada pelo arquiteto Moshe Safdie, a arquitetura lembra o Coliseu de Roma. Distribuída em 9 andares, a biblioteca foi inaugurada em 1995. No interior da biblioteca, as grandes janelas deixam a luz entrar com suavidade, há várias áreas de estudos contendo computadores e wi-fi gratuito. Há livros em diversos idiomas, inclusive em português. Por fora possui um telhado verde, projetado pela paisagista Cornelia Oberlander.





Mãe, já sei para onde vamos nas férias! Eu, particularmente, só conhecia a Biblioteca do Congresso, que considero como sendo a mais famosa entre essas, pois todo mundo já ouviu falar dela ou viu alguma menção em um filme. 
Mas, o que não é um pouco de pesquisa, pessoal. Não fazia ideia de que o Brasil possuía uma das bibliotecas mais lindas do mundo! Nosso país, gente. Claro, dentro das bibliotecas como sendo ditas as mais bonitas, selecionei aquelas que mais me chamaram a atenção, porém seria realmente injusto deixar o Real Gabinete de Leitura de fora.
Agora, me digam, como assim existe um castelo chamado de Chantilly e eu não sabia? E ele ainda possui uma biblioteca magnífica? Saibam apenas que eu estou me mudando. Tipo, neste exato momento. E olha que incrível, já tenho o blog para combinar com o nome da minha nova casa! Vou continuar postando, fiquem tranquilos.
Porém, ainda acho que minha biblioteca favorita foi a de Vancouver, pois mesmo que não esteja em um castelo, sua estrutura imita o Coliseu e ela tem um teto verde. Achei absurdamente linda.
Só para esclarecer, os nomes das bibliotecas acabaram ficando sem acento e letras maiúsculas, pois a fonte não permitia que eu os usasse, entretanto só notei isso após ter feito as plaquinhas. Sinto muito por isso, e espero que compreendam.
E qual foi a biblioteca favorita de vocês? Lembrando que existem outras muito lindas mundo afora, apenas selecionei aquelas pelas quais eu mais me interessei. Me contem nos comentários!

Bom dia! Como está todo mundo? Tenho que pedir desculpas pela demora em postar, mas espero que entendam, pois essa semana foi realmente cheia, já que estou em época de provas finais e o temido vestibular. Porém estou de volta, e para dar dicas de aplicativos úteis tanto para usuários de celulares com sistema android, quanto IOS
Conheço muito poucas pessoas que não possuem um smartphone. Meus colegas, professores e até meus pais têm um. Não é brincadeira, eles até usam o whatsapp. Mas porquê então, não unir o útil ao agradável? Separei alguns aplicativos básicos para nós, leitores, que irão te ajudar tanto a controlar suas leituras como a continuá-las.







É provável que todos vocês que acompanham o L&C tenham uma conta ou conheçam o Skoob. Depois de tanta espera, finalmente saiu o aplicativo dessa rede social para celular, bem bonitinho e prático. Não possui funções diferentes, porém é relativamente mais prático do que o site.

                               







A Amazon Kindle é o aplicativo de livros virtuais da Amazon, agora otimizado para celulares e tablets. A maioria das obras são pagas, porém muitas também são gratuitas e a interface dele é maravilhosa. Ele mostra o seu progresso e também aprende o seu tempo de leitura, mostrando quanto tempo falta para você terminar o livro ou o capítulo. 

ebooks em formato .epub.mobi.

                                  







Creio que seja o melhor leitor de PDF's existente. Uso ele no computador desde que possuo um, e quando ganhei meu primeiro tablet, instalei nele rapidinho também. Só perde para o Amazon Kindle, pois não possui tantas funções diferentes como ele, mas tem um marcador de páginas também, que eu acho super importante, haha. 

Lê ebooks em formato .pdf.

                                 


Todos eles são gratuitos, mas nem por isso têm menos qualidade do que os aplicativos pagos. Escolhi apenas os mais tops de linha, haha. Sei que alguns se sentem incomodados lendo em uma tela ou simplesmente não gostam, mas não podem negar que tem suas vantagens, como carregar bem menos peso. Sugiro que façam uma experiência, com qual leitor de ebooks que vocês prefiram, mas deem uma chance para algum deles.

A descrição dos aplicativos foi tirada da Google Play Store, já que o meu celular tem o sistema android, mas são bastante similares as da App Store. Espero que tenham gostado das dicas e que possam realmente aproveitá-las!

Olá! Hoje vim responder uma Tag, em que a Midian, do Tordo de Morango, me marcou e a qual ela mesma criou! Nela, devemos relacionar um livro com características ou sensações de datas comemorativas famosas, como a Páscoa ou o Halloween. Segundo a Midi, não existe nenhuma tag assim, o que até é um pouco surpreendente, já que todos conhecemos esses feriados, por isso achei a ideia dela muito legal. São apenas 7 perguntinhas:


Enquanto estava conferindo minha estante no skoob, a procura de um livro que realmente me passasse uma sensação de paz, pensei que deveria começar a ler menos distopias e ficções sombrias onde os personagens estão em constante tensão (mentira, não vou diminuir o número delas não), pois foi difícil encontrar uma obra que se encaixava aqui. Acabei então escolhendo Eu fui a Melhor Amiga de Jane Austen, que é um romance fofo e alegre, e, o melhor de tudo, não fez o meu coração quase sair pela boca. Na maior parte do tempo.



Só podia ser Zumbis X Unicórnios mesmo para ter essa capa que, além de multicolorida, é demais, representando a épica batalha entre os zumbis sem graça e os seres mágicos purpurinantes e musicais chamados de unicórnios. Já que para perceber que eu sou #teamunicornio, mas e quanto a você?


Caso estejam interessados, tem a resenha dele aqui, uma das bem antigas, porém já adianto que Garota Replay passou de um livro interessante para algo meio sem noção em pouco tempo. Não sabia o que a autora tinha a intenção de fazer com a história, contudo suspeito que não tenha dado muito certo.



Olha só, preciso apenas de um livro que se passe na minha cidade, rs. Entretanto, segundo o próprio protagonista de Dezesseis Luas, não existe cidade menor e mais insossa que a de cidadezinha Gatlin. Como eu posso discordar desse modo?



Com certeza a categoria mais fácil dessa tag, haha, já que vários são os livros que contém pelo menos alguma menção à magia. Contudo, talvez Cidade dos Ossos seja o que possui mais formas de magia.



Essa data me traz mais ou menos o mesmo problema que o ano-novo, que já devem ter visto acima, mas foi um pouquinho mais fácil de decidir o livro certo para ela. Nárnia me ensinou muitas coisas e, apesar de os filmes terem me marcado mais, talvez por eu estar vendo um pedaço daquela história, por isso nunca vou esquecer esse mundo maravilhoso.




Vamos falar de coisas boas agora, vamos falar de livros que eu amo. O romance que eu julgo ser meu favorito, Um Amor Para Recordar, o livro que me descreve perfeitamente, Fangirl, a distopia que quase me rendeu 347 ataques cardíacos e o casal, que só é considerado assim por alguns fãs, mais fofo de todos, Maze Runner, o segundo, e talvez o mais fofo, livro da Coleção Sevenwaters, Filho das Sombras e uma das aventuras mais incríveis e fantásticas que já li, Eragon. E eu mal comecei.



Bom essa foi a tag gente, espero que tenham gostado! Eu estava pensando em adicionar o Dia das Crianças a ela, e até falei com a Midi sobre isso, que disse que estava tudo bem, porém o tempo acabou passando rápido demais e também achei um pouco chato mudar a criação dela.
Para finalizar, vou indicar a Bárbara, do Versos e Notas e a Fernanda, do Sobre Contar Histórias. Claro, todos que quiserem, são bem vindos para respondê-la! Não deixem de me contar se concordam com as minhas respostas, ou quais outros livros vocês colocariam no lugar dos que escolhi. Até!

Categorias: