Olá! Estava muito a fim de responder uma Tag literária, porém não encontrava mais nenhuma muito interessante ou abrangente. Fui então para onde encontramos de tudo, que incrivelmente não é o google, e sim o tumblr. Acabei achando um link que redirecionava para um blog no wordpress, o The Girl who Read too Much e lá encontrei a Disney Villain Book Tag. Traduzi ela e suas perguntas, que não eram muitas e, como o nome já diz, são principalmente sobre os vilões literários. Os pobrezinhos, sempre esquecidos, vão participar de uma tag agora, ao invés de só fazer o mal.




















O nome já diz tudo, mas caso precisem de confirmação, nessa série vemos maldades atrás de coisas ruins atrás de maldades atrás de coisas ruins atrás de maldades atrás de coisas ruins. Muito amor entre os irmãos e então mais coisas ruins.

Sim Lucinda, essa "gárgula" que você não sabe de onde veio, nem o que faz em um anunciador, é plenamente confiável. Ela não te dá conselhos e diz sempre as coisas que deve fazer, como se suicidar para salvar o seu namorado?

Sei que respondi a essa pergunta de modo literal, mas não conseguia pensar em mais ninguém para ser representado aqui. O que aconteceu foi por vontade de Luke e por isso mesmo merece essa lembrança.

Eu não conseguia nem respirar durante a leitura desse livro, imagina falar alguma coisa. James Dashner emendou um acontecimento eletrizante no outro, cada fim de capítulo era uma surpresa, sem exceções.

Era Lokesh para cá, Lokesh para lá, o homem estava em todos os lugares fazendo maldades com o máximo possível de pessoas. No último livro, eu não sabia nem se alguém ia viver para contar história, ele estava particularmente inspirado.

Não pensem que eu sou louca, mas sempre gostei do Sebastian. Tudo bem, exceto no terceiro livro, mas fora isso eu sabia que não era o verdadeiro Sebastian fazendo tudo em benefício próprio e mesmo que de uma maneira deturpada, ele amava a Clary e se afeiçoou ao Jace. Se não tivessem dado sangue de Lilith à sua mãe, quando ela ainda estava grávida, ele seria um ótimo irmão mais velho.

Primeiro foi Digory, que roubou o anel do tio com a ajuda sua amiga Polly para ver se realmente era possível conhecer outros mundos. Depois, Edmundo conta sobre seus irmãos à Feiticeira Branca. Miraz mata seu irmão e usurpa o trono do filho dele, o verdadeiro herdeiro, Caspian. Eustáquio, ao invés de ficar com seus primos, rouba um bracelete suspeito e até Lúcia tem sua parcela de culpa em O Peregrino da Alvorada, pois deseja ser como Susana. E são os 4 primeiros livros de uma série de 7.

Prefiro O Chamado do Cuco ao Bicho-da-Seda. Nessa obra é impossível saber quem é o verdadeiro assassino, mas não porque ele encobriu muito bem os seus traços, apesar de realmente ter feito isso, mas porque você simplesmente não imaginaria que foi aquela pessoa. Era um personagem tão sem graça, que não aparecia muito e nem os motivos para o homicídio ter ocorrido foram dos melhores.

Sei que faltam acentos nos nomes dos livros, mas após o agudo funcionar no "e" de Série, conclui que os outros também sairiam, mas não foi bem assim. Qualquer outra letra com um "´" ou "~" se configurava com um espaço em branco. 
E então, o que vocês acharam dessa Tag? Não vou indicar ninguém mas, qualquer um que quiser, sinta-se a vontade para responder e deixe seu link aqui nos comentários, vou adorar saber sua opinião sobre os vilões!


Título Original: The 100 - Os Escolhidos

Série: The 100 (Livro 1)

Autor(a): Kass Morgan

Editora: Galera

Número de Páginas: 288

Ano: 2014



Milhares de anos após a guerra nuclear que, de tão nociva, impossibilitou a vida no planeta Terra, os seres humanos restantes vivem em três grandes naves espaciais: Phoenix, Walden e Arcadia, a primeira sendo a mais consolidada e influenciável de todas. Para manter a ordem em um período de tanta instabilidade, qualquer adulto que cometa um crime será imediatamente morto, porém menores de 18 anos serão presos, confinados, e julgados novamente antes de atingirem a maioridade, podendo talvez conseguir o perdão por seus delitos.

Clarke Griffins é uma das adolescentes que foram confinadas por cometer crimes contra a rígida política. Quando recebe a visita de um médico, o qual foi seu mentor no hospital há algum tempo atrás, a jovem enfermeira pensa que chegou a hora de sua morte, pois não acreditava realmente que alguém pudesse ser perdoado. Entretanto sua incredulidade só faz crescer, enquanto o doutor Lahiri lhe conta que ela é um dos 100 indivíduos escolhidos para povoar novamente a Terra.

Bellamy Blake, um guarda de Walden, é o único de todas as pessoas que possui um irmão. Como isso é uma infração ao sistema, sua irmã mais nova precisa ficar em um centro com crianças órfãs, porém sempre que pode Bellamy a ajuda, levando comida extra para ela e alguns outros itens importantes. Quando ele descobre que Octavia foi presa por ajudar a alimentar seus colegas e que é uma das jovens escolhidas para voltar à Terra, sabe que não pode deixá-la ir. Ao menos não sem a sua única família.

Wells Jaha é o filho do Chanceler de Phoenix, o mais alto cargo concedido a alguém, equivalente a todas as naves. Devido a sua condição, seria quase impossível que ele fosse confinado e mandado para a Terra junto com outros 99 delinquentes mas, assim como Bellamy, não mede esforços para proteger alguém que ama. Ele comete atos que trarão severas consequências para toda a população humana vivendo no espaço, conseguindo assim ser um dos 100 selecionados.

Glass foi confinada por infringir as regras estabelecidas pelos conselheiros e, apesar de saber que se for a Terra com todos os outros adolescentes receberá o perdão, ela precisa falar, nem que seja uma última vez, com alguém muito importante em sua vida. Apesar de já estar no meio de transporte que a levará para o planeta desconhecido e chocada com a presença de seu melhor amigo, Wells, na espaçonave, quando um jovem guarda cria uma confusão do lado de fora, ela aproveita e escapa, mesmo isso podendo significar a sua morte.





Vocês podem pensar que um livro 5 estrelas é bom do começo até o fim. Talvez isso se aplique em alguns casos, mas demorei um pouco para gostar de verdade de The 100. Estava muito tentada mesmo a dar 4 estrelas, isso porque não consegui sentir muita emoção lendo ele, apesar de ser uma obra bastante turbulenta, mas sei que o livro merece mais. Não sabemos o motivo de nenhum dos personagens para terem sido confinados, e a medida que avançamos na leitura, vamos descobrindo segredos atrás de segredos.

Os capítulos são narrados pelos protagonistas, os quais já mencionei antes, Clarke, Bellamy, Wells e Glass. Nunca gostei muito dessas alternações, mas é fácil se acostumar com essa organização em The 100, pois as divisões entre as partes não são muito grandes. Apesar de podermos conhecer apenas o ponto de vista dos personagens principais, os secundários não ficam para trás. Todos são bem desenvolvidos e tem suas próprias tramas, até mesmo mortes, dentro da história. Já estou até conjecturando que alguns não faleceram de verdade.

Outro ponto que me levou a adorar e, por outro lado, estranhar a obra, foi um triângulo amoroso subentendido onde eu simplesmente não consegui escolher um lado. Os garotos envolvidos não são totalmente estereotipados e com a descrição da autora, podemos notar o quão críveis e reais eles parecem. Consegui entender o lado de ambos, o que acabou por me deixar em um beco sem saída. Entretanto, de acordo com a série de TV, que pretendo começar a assistir o mais cedo possível, e todos Gifs do Tumblr, já imagino para quem torcerei mais daqui em diante.

Sobre a falta de emoção que falei antes, ela também pode estar ligada a eu não estar devidamente imersa no livro, mas reconheço que ele é ótimo, a história muito bem planejada e os personagens humanos, todos com suas qualidades e defeitos. Algo meio chato foi o fato de todos eles já terem tido um relacionamento anteriormente, nenhum começa a trama procurando por alguém, por exemplo. O começo é muito rápido também e a parte da viagem é tão insignificante que eles parecem ter ido fazer um passeio rotineiro.

Não faltam surpresas e descobertas em The 100 e justamente por isso, ele poderia ser um livro maior. Analisando agora, o que me incomodou mesmo foi a falta de descritivismo. As coisas vão simplesmente acontecendo, não conseguimos saber exatamente o que o personagem sente enquanto isso, o que impede o leitor de desenvolver um envolvimento maior também. Fora isso, é uma obra recomendada para qualquer um que goste de uma boa distopia e finais com gostinho de quero mais.



Nossa viagem começa na Muralha, mais especificamente em Atalaieste do Mar, onde o barco deixou nossa caravana. Gostaria de ter sido possível dar uma paradinha nas terras para lá da muralha, mas, como o inverno chegou, o povo selvagem está mais... hostil do que o usual. Depois de desembarcarmos nos dirigiremos a Castelo Negro, onde poderemos subir na descomunal parede de gelo, com mais de 200 metros de altura e apreciar a vista lá de cima. Entretanto, foi pedido a nossa equipe que ninguém urinasse daquela altura. Não demoraremos muito no forte, pois a população local fala de um enorme e temível lobo branco que costuma aparecer à noite, silencioso como um fantasma. Sem contar que os próprios locais são meio traiçoeiros.



Seguiremos pela Estrada do Rei durante a excursão inteira, com os cavalos que já estavam inclusos no pacote. Também nos foram gentilmente cedidas algumas carruagens, para aqueles os quais não se dão bem com equinos. A primeira parada será nas ruínas de Winterfell, onde infelizmente não poderemos entrar, pois o castelo está em estado decadente e algumas partes podem vir a desabar. Nos foi permitido apenas uma rápida visita ao represeiro, a árvore-coração, símbolo das crenças de uma poderosa família que viveu ali.



Depois de uma parada em Fosso Cailin para checar e nos reabastecermos de provisões, passaremos rapidamente pelas Gêmeas, pois quem controla aquela região é meio temperamental e seria muito chato ter um imprevisto por ali, como morrermos. Pernoitaremos, portanto, em Harrenhal, que é outra fortaleza em ruínas. É uma pena que os governantes de um território tão vasto e bonito se preocupem tão pouco com a recuperação de seus castelos e passem tanto tempo brigando.
Continuaremos na Estrada do Rei até Porto Real, onde passaremos alguns dias. É possível sentir o cheiro da grande cidade antes mesmo de vê-la, mas acabaremos por nos acostumar com o odor. Lá visitaremos o Grande Septo de Baelor, que possui tanto uma estrutura quanto jardins belíssimos e a Fortaleza Vermelha, onde consegui permissão para tirarmos fotos sentados no Trono de Ferro. Só cuidem onde colocam as mãos, assim como qualquer outra parte do corpo, porque aqui ainda não temos acesso a vacinas anti-tetânicas.



Da capital de Westeros nos locomoveremos até Jardim de Cima, um dos lugares mais bonitos que veremos em nossa viagem, recheado de todo o tipo de plantas e bom entretenimento, além de um tratamento adequado para nossas montarias. Após 2 dias partiremos então a Dorne, onde o mesmo barco do início da viagem, nos levará para casa. Antes, contudo, visitaremos os famosos Jardins de Água e podemos também parar em alguma praia. Já que várias cidades são costeiras, isso é bem acessível.
















É uma pena que não conseguiremos ir até Essos fazer o passeio de Dragão, mas fica para uma próxima, certo?

Olá! Hoje, por um milagre, o dia está ensolarado, assim como o meu estado de espírito, já que estou finalmente de férias. Nada melhor do que ficar em casa lendo nesse período, mas claro que assistir novos filmes e séries é válido também
Vim falar justamente sobre isso, pois duas séries de livros que eu gosto muito serão adaptadas, espero que até o ano que vem, para o cinema e TV.
Quase todo mundo já sabe que, depois de uma tentativa vergonhosa e felizmente frustrada de fazer um seriado hot para televisão há algum tempo, os direitos de A Seleção foram comprados pela Warner Bros que, creio eu, fará um bom trabalho com o filme, assim como seus produtores, Alison Greenspan (Se eu Ficar, Golpe Duplo), Pouya Shahbazian (Divergente, Insurgente) e Denise DiNovi. Tem tudo para ser um sucesso até agora, porém ainda falta o principal: um elenco. Eu montei o meu dream cast, mas como o nome diz, é apenas um sonho. Ou não, né.

E aí, quem mais é Team Jacob? Ops, fandom errado.

Outra novidade incrível que esse ano me trouxe, foi a confirmação da adaptação da coleção Desventuras em Série em seriado, pela Netflix. Sou apaixonada pelo filme desde criança, até mais do que as três primeiras obras literárias, mas havia lido apenas o 8º e o 13º livro naquela época. Todo mundo aqui sabe que eu amo os irmãos Baudelaire, porém também adoro os atores que os interpretaram no cinema. Meio que me recuso a aceitar alguém que não seja a Emily Browning, Liam Aiken, Shelby/Kara Hoffman ou Jim Carrey para os papeis mais desafortunados já vistos.
Mas é claro que eu não viria falar dessa maravilhosa notícia sem nada para mostrar. Há alguns dias foi divulgado um suposto teaser da série, contudo logo descobriram que não era o oficial. Entretanto, eu garanto a vocês que ele é digno de sê-lo.



É muito provável que eu tenha gritado de emoção da primeira vez que vi o vídeo, além de tentar notar o máximo possível de referências aos livros. Gostei tanto que baixei no meu celular e o assisto quando fico com saudades da série.
Agora, tudo o que nos resta a fazer, é esperar que ambas as adaptações sejam fieis a suas obras, bem produzidas, tenham bons atores e principalmente, cheguem logo.


Título Original: O Mundo Encantado das Cores

Editora: Butterfly

Número de Páginas: 96

Ano: 2015





Esse é o primeiro livro de colorir em que ponho as mãos desde os 11 anos e não sei porque isso demorou tanto para acontecer. Sério, quem mandou adolescentes pararem de pintar desenhos? Porém, uma coisa (re)aprendida por mim com esse tipo de publicação, é que eu não sei colorir. No ensino fundamental sempre ouvia "Renata, você só pode pintar em uma direção" e ficava irritada, além de com o pescoço e as mãos doendo. 
Pensei já ter passado dessa fase, mas depois de não conseguir nem terminar uma imagem sequer, percebi que preciso de treino e é o que pretendo conseguir com O Mundo Encantado das Cores. Ele é uma obra cheia de desenhos lindos, com frases inspiradoras em cada página. Por falar nisso, para os desenhos não ficarem tão marcados, só existem figuras em um lado da folha, propiciando maior qualidade às pinturas.





















Vou entrar de férias na próxima semana e então pretendo atualizá-lo pois, como podem ver, infelizmente não consegui fazer muita coisa. 
Além de todos esses desenhos encantadores acima, existem vários outros, que com certeza merecem ser conferidos também. Fui a primeira a ter um livro desse tipo na minha turma e várias pessoas acharam bem interessante, uma amiga até comprou um para ela. Espero que tenham gostado também!

Leitores do blog, lindos do meu coração! Que saudade. Acabei de passar o tempo mais longo sem postar alguma coisa no L&C, em 1 ano e 5 meses inteiros. Foram 4 dias sem nenhuma notícia e sei que não parece muito, mas escrever algo aqui, pelo menos duas vezes por semana, já se tornou rotina. De certa forma, fico feliz ao dizer que foi apenas (novamente) a falta de tempo que me impediu de trazer novas coisas para vocês.
Eu gostaria muito que esse post fosse uma resenha, mas assim como não pude deixar mais matérias, também não consegui ler muitos livros. Por ventura, vi no Heartbreaker Girls, parceiras queridas aqui do blog que também estão com o horário apertado, um projeto muito interessante e resolvi tentar também.
O 642 Coisas Sobre as Quais Escrever implica exatamente isso, mais de seiscentos temas sobre os quais teremos que dissertar. É apenas um texto curto por assunto, menor ainda do que um conto, mas que mesmo assim irá desenvolver nossa habilidade com as palavras. Para começar, o tópico sorteado por mim foi o "sua experiência transcendental com um sabor de sorvete", mas podem conferir vários outros aqui.



Argentina, Janeiro de 2014.
"Não acredito que já tenho que voltar para o Brasil amanhã". Foram apenas 4 dias visitando Buenos Aires, e eles passaram tão rápido. Bem, geralmente é o que acontece quando estamos fazendo algo incomum, como conhecer uma cidade de outro país, mesmo que ele seja vizinho do seu. Tudo bem, nem tudo o que aconteceu lá foi diferente de coisas rotineiras por aqui. Eu reclamei por precisar andar demais, passei uma tarde inteira assistindo The Big Bang Theory, escutei música alta e provavelmente deixei minha tia, que estava dividindo o quarto de hotel comigo, com medo de adolescentes que cantam quando, obviamente, não têm esse dom. Mas também aproveitei a viagem para conhecer  outros lugares e viver novas experiências, do contrário ela não teria nenhum sentido. Eu e minha família almoçamos com um casal de cariocas, andei de metrô, tirei foto com um guarda vestido a caráter que ficou borrada, descobri que toca Gustavo Lima na Argentina e tomei o melhor sorvete da minha vida.
Alguns dias antes de entrarmos na pequena, aconchegante e maravilhosa sorveteria na rua ao lado da do hotel, insisti em tomar um Freddo. "Ah, é o melhor helado da Argentina, pode confiar" foi o que disseram todos os empregados do hotel, a guia de turismo e a minha tia. Certo, vamos ver se encontramos um lugar para tomar esse sorvete então. 
Durante um passeio, chegamos em um estabelecimento bonito e bem decorado, com vista para o lago e com uma fila grande, cheia de pessoas ansiosas por fazer o seu pedido.

- Vamos lá, quero ir ali comprar um sorvete. - Eu disse.

Não era importante se alguém mais iria pedir algo, mas eu queria aquela doçura gelada e logo. Antes de ser atendida já fui olhando o cardápio, visível acima do balcão para qualquer cliente na fila. Eram tantos sabores que ficava difícil decidir, mas acabei optando por algo parecido com um sundae, de limão e doce de leite. Na dúvida, o de sempre. Depois de muito teimar, finalmente ganhei do meu pai um sorvete de 45 pesos. Pois é,  consegui gastar 15 reais em um sorvete. Não, não um simples sorvete. Um Freddo
Minha tia, que não tinha pedido nada, estava muito curiosa, já que havia ouvido falar tanto do bendito sorvete. 

- Ô Rê, me deixa experimentar um pouco, para eu ver se é bom mesmo como dizem.
- Sim, tia, pega a colher aqui. - Disse, meio mal-humorada por precisar dividir o meu Freddo. Porém, logo ficou claro que ela não iria querer fazer nada mais do que prová-lo.
- Olha, não sei hein, mas não gostei muito, ele é bem azedo.

"Obrigada por esclarecer, tia. Eu não fazia ideia de que sorvete de limão era azedo". Não me preocupei muito pelo fato de ela ficar decepcionada com o Freddo, pois sempre foi bem exigente para a comida, simplesmente acabei de tomá-lo e admiti para mim mesma que a porção do de limão poderia estar um pouquinho menos concentrada. Ainda assim, era um bom sorvete, mas não o melhor. "Deve ser o sabor que peguei". Não iria difamar a sorveteria só por uma infeliz escolha de sabores.
Felizmente, o incidente do Freddo foi resolvido, após visitarmos a outra sorveteria. Ela ficava realmente muito perto do hotel, era basicamente virar à esquina, andar meia quadra e estávamos lá. Só descobrimos esse estabelecimento pois ele ficava no caminho para um mercado, onde geralmente meus pais compravam produtos para o café da noite. Já eu, tentava pegar quantos pacotes de Oreo pudesse, antes que me impedissem.
Estava anoitecendo e a sorveteria tinha  uma iluminação agradável. Os sabores de sorvete não passavam de 15 e um copinho com uma bola, mas de dois sabores, custava apenas 20 pesos. Não pude pegar um maior pois precisaríamos guardar o mínimo de dinheiro que fosse, caso tivéssemos que comprar algo urgentemente ou acontecesse um imprevisto. 
Incrivelmente, nem me lembro o sabor de sorvete que pedi, porém não era nada atípico. Provavelmente era doce de leite novamente e algo com creme. Só sei que foi o sorvete mais cremoso e gostoso que já comi na minha vida. Era algo entre céu e chocolates da Ferrero. Mais saboroso do que o do Mc'Donals ou o de pistache. Até a minha tia aprovou.

- Muito melhor do que o Freddo.


Achei a proposta mega diferente e vocês? Ah, estão todos convidados a participar também, claro. Agora, gostaria de saber o que realmente acharam do primeiro texto desse projeto aqui no blog, se tiverem alguma crítica ou sugestão, por favor, os comentários estão aí para isso. Não acho que tenha ficado muito bom, além de eu ter fugido um pouco do tema, mas se vocês gostarem ficarei contente.
Creio que escrever por assuntos seja tanto uma forma de eu treinar minha escrita quanto de vocês me conhecerem melhor. Espero voltar em breve, um grande beijo!

Olá você, jovem bruxa que quer impressionar o garoto de quem gosta com algo mais interessante que um visco, ou o trouxa que se apaixonou pela capitã do time de quadribol da sonserina, está tendo dificuldades para demonstrar seus sentimentos/não está sendo correspondido? A sabedoria popular diz que é possível conquistar alguém pelo estômago. Portanto, convide essa pessoa especial para comer algo e, para dar um toque mais romântico sutil, faça você mesmo a bebida preferida de 10 entre 10 alunos de Hogwarts, a famosa cerveja amanteigada. Com certeza esse drinque irá aquecer corações.




Nham, nham, nham. Ela pode ser servida tanto quente quanto fria e melhor do que isso, só descobrir que a aula de poções foi cancelada no primeiro tempo. Se a receita não funcionar com a sua paquera, bem, você sempre pode tomar cerveja amanteigada com seus amigos. Ou curtir a fossa com uma bebida gostosa, depende de como vai encarar as coisas. Mas é bem mais provável que, ao final do lanche, você tenha um Uon-uon para chamar de seu.
Minhas fontes juram que Grindewald e Dumbledore adoravam.

Assim não dá mais, a cada uma postagem 3 têm a palavra "literário"ou "livros" no título, haha. As Desvantagens de ter um Blog Literário Sobre Livros que Fala Sobre Aquilo que Lemos. Esse até podia ser o codinome do L&C, como o Voldemort é aquele que não deve ser nomeado
Conjecturas à parte, hoje decidi mostrar os itens de vestuário inspirados em livros mais bonitos e interessantes, na minha opinião, achados na infinita internet. Aqui vão encontrar diversas peças de roupas, acessórios e os links de compra para ambos abaixo das imagens, caso queiram adquirir algo.



1. Camiseta Don't try to Define me (Divergente) - R$27,00
2. Colar Eat me, Drink me (Alice no País das Maravilhas) - 10,00
3. Maiô Brasão de Hogwarts (Harry Potter) - R$21,30
4. Moletom May the Odds be Ever in Your Favor (Jogos Vorazes) - R$89,90
5. Saia artesanal do Mapa de As Crônicas de Nárnia - R$148,07
6. Camiseta Camp Half-Blood (Percy Jackson) - R$30,90
7. Anel Óculos e Cicatriz (Harry Potter) - R$18,80 
8. Gorro Slytherin (Harry Potter) - R$35,90
9. Camiseta Ceci n'est pas une pipe (A Culpa é das Estrelas) - R$37,70
10. Pulseira Livros de Crepúsculo - R$25,00
11. Legging Gato de Chesire (Alice no País das Maravilhas) - R$59,99

Tem alguns objetos de lojas estrangeiras, sim, mas eram produtos tão lindos que não pude deixar de indicar. Me apaixonei especialmente pela saia artesanal de As Crônicas de Nárnia, mas adivinhem, é o produto mais caro de toda essa seleção, do mesmo modo que o colar de Alice. Pior que é sempre assim, rs. 
O que acham de eu, em algum outro dia, fazer um post desses novamente, só que com objetos de decoração ou artigos de papelaria? Não deixem de comentar qual peça vocês mais gostaram!