Talvez vocês pensem que, uma vez tendo lido muitos livros, seja difícil escolher seus personagens principais favoritos, por causa da enorme quantidade deles, mas para mim é justamente ao contrário. Quanto mais eu leio, mais tenho certeza de que alguns personagens pelos quais eu já passei deixam muitas saudades e não serão facilmente esquecidos. Vou falar mais do perfil deles, pois não tem como explicar exatamente porquê os amo, simplesmente aconteceu. Li e me apaixonei.




Eu não estou brincando, olhem a página "Sobre Mim".

Sei que os representantes do sexo masculino são maioria, mas tenho minhas razões para outras garotas, como Tris, Katniss ou Ever, não serem as mais estimadas por mim. Não quer dizer que eu não goste delas, já que adoro todas, porém falta algo nessas personagens para serem minhas favoritas de fato. 
Mas enfim, quais são os seus personagens principais favoritos? A minha seleção confere? Pretendo voltar com a continuação desse post, Meus Personagens Literários Favoritos - Secundários. Até!

Já podem ver pelo título que hoje tem bastante coisa para falar sobre, tanto que nem sabia por onde começar direito, pessoal. Pelas notícias que me deixaram mais alegre, então. Há alguns dias, recebi um email da editora Lumus dizendo que fui selecionada como parceira do selo! Fiquei muito contente, pois adoro livros de fantasia e eles são como que especializados nesse gênero.



Recomendo mesmo que vocês leiam a sinopse de todos as obras acima gente, é só procurá-las no skoob ou no próprio site da Lumus, já que lá tem os booktrailers, lindos também diga-se de passagem. Verão que todas as premissas são muito interessantes e espero que seja assim com as histórias em si.
A segunda novidade é o que chegou para mim da editora Butterfly/Petit, O Filho das Sombras, continuação de Filha da Floresta. Vocês sabem como eu adorei o primeiro livro e espero que, daqui a pouco, possa dizer o mesmo do segundo. Pretendo começar a lê-lo ainda nesse fim de semana.




E agora, vou deixar os lançamentos de junho do selo Ella, da Modo Editora, para fechar essa postagem com chave de ouro. Se clicarem, poderão ter mais informações sobre os livros e até comprá-los, caso se identifiquem.



      

Tenho que falar especialmente dessa capa de Com amor, Checo de Anita. Não parece com as do livro da Jojo Moyes? Está linda demais! Esse, porém, é um pré-lançamento, portanto não dá para adquiri-lo por enquanto
Acho que deu de livros por hoje, certo? Brincadeirinha, vou lá terminar as Crônicas de (divo do Brooklyn, Magnus) Bane.




Título Original: Por Que Indiana, João?

Autor(a): Danilo Leonardi


Editora: Giz Editorial


Número de Páginas: 208


Ano: 2014


O ensino médio não é fácil para ninguém, porém é particularmente mais difícil para João Galeto, já que o garoto sofre bullying. Com 15 anos, taxado de nerd e de uma estatura abaixo da média, sofre provocações todos os dias e só tem um amigo, Daniel, o qual veio do Ceará e é o único menino negro da turma. Ele, entretanto, era popular em sua antiga escola e muitas vezes se inconforma de o mesmo não acontecer ali, em São Paulo.


Ambos passam o intervalo parcialmente escondidos, evitando ser vistos especialmente por Guilherme, que é o cara mais popular da escola e também a causa de grande parte do sofrimento de João. Este, além de possuir apelidos como Uísque, ter sua mochila escondida no horário de aulas e ser obrigado a passar cola nas provas, tem sua cabeça enfiada na privada esporadicamente, para a diversão de outros.


Há alguns meses, os dois amigos criaram um canal de vídeos, para falar de qualquer coisa que fosse do interesse deles, entretanto, como não fez sucesso rapidamente, Daniel deixou de aparecer em várias gravações, então só João se preocupava em continuar filmando alguma coisa. Além de vloggar, ele gosta muito de jogar videogames e tem afinidade com a leitura, mas adora mesmo filmes, principalmente os do Indiana Jones, que assistia com o seu pai quando criança.


Seus pais, contudo, se separaram faz tempo e ele acabou se decidindo por morar com a mãe, que trabalha em um banco. Ela quer o melhor para João, está sempre controlando se o garoto já fez seus deveres e em como é sua conduta, na escola e fora dela. Por isso, é uma surpresa enorme e chocante para dona Magda, quando a chamam na escola para dizer que seu filho, sempre tão passivo, agrediu um outro aluno.


Antes de sua mãe precisar receber essa notícia, João estava em sala de aula, tentando evitar apanhar de Guilherme, por convidar uma garota em que o outro estava interessado para sair. Mesmo após ter recebido uma resposta negativa dela, Guilherme acha que João merece uma lição e ele está mais do que disposto a aplicá-la. O que nenhum dos dois esperava era que o nerd, o garoto baixinho e tímido, se levantaria e o acertaria primeiro. Muito menos que o melhor amigo dele gravaria tudo e expusesse ambos na internet, tornando aquela pequena "luta" um viral.






Vou começar essa resenha falando sobre o que chama mais atenção no livro inteiro e não é a capa amarelo-ovo (nada contra ela, eu adorei, mas essa é a segunda coisa mais chamativa na obra): o título. Ô nome original, hein? O Danilo tem mais criatividade que eu pessoal, haha. Para vocês terem uma noção, gente que nem gosta de ler na minha turma vinha me perguntar do que se tratava esse exemplar, apenas por verem o nome de passagem. Até minha professora de português se interessou!

A história é intrigante, real e tem uma linguagem simples e fluida que nos proporciona terminar o livro em poucas horas. Porém, apesar de a trama parecer bastante verossímil e que poderíamos assistir o vídeo do João acertando o Guilherme no lugar onde dói mais a qualquer hora na internet, algumas vezes ela fica perfeita demais, como quando o protagonista conhece uma garota que também sofre bullying. Talvez sejam apenas as famosas coincidências literárias, mas achei legal ressaltar isso.


Eu gostei do João já no início da história e apesar de achá-lo meio mané entendia porque ele agia de tal maneira, mas depois de ele se impor ao Guilherme virou um João 2.0. Porém, devo deixar claro que foi tanto para um lado bom quanto um nem tão legal assim, este mais interesseiro e egoísta. Vários dos personagens secundários são recorrentes e aparecem regularmente. Isso é algo bom, só demora um pouquinho para nos lembrarmos dos nomes de todos por conta disso.

A edição da Giz está de parabéns, linda, com a letra no tamanho perfeito para a leitura e a divisão de capítulos/partes da história muito bem feita. Além de Por Que Indiana, João? falar das pessoas que sofrem bullying, também mostra, de certa forma, o lado daqueles que o praticam, os bullies, e isso é muito interessante. Nos faz pensar naquela velha história de se colocar no lugar do outro, sabem? Apesar de o livro ser clichê em alguns aspectos, como pais separados e o combo cara bonito+popular+rebelde, não deixa de ser envolvente. Espero que ele possa inspirar, da maneira certa, jovens de todo o país.



Tem coisa melhor do que ganhar livros de presente de aniversário? Tem! Ganhar livros surpresa de presente de aniversário! Meu dia já começou bem quando uma amiga muito querida me deu Endgame: O Chamado. Eu nem esperava por ele e só ficou melhor, pois quando cheguei em casa e vi que tinha pacote de parceria, pensei na enorme coincidência de receber algo, ou melhor, O Mundo Encantado das Cores logo hoje.

O livro é muito bonitinho e assim que eu colori-lo ao menos um pouco, faço uma resenha fotográfica. Junto com ele, vieram vários marcadores e um conjuntinho de lápis de cor. Eu adorei, tudo muito fofo.
Vieram tantos marcadores de páginas, mas tantos, que quase não consegui segurar todos na minha mão para tirar a foto. E vocês podem agradecer a esse fato, porque agora vai ter sorteio de (meu) aniversário. Surpresa! Não tinha planejado nada, então, eles vieram em ótima hora. No total, serão 14 marcadores sortidos da editora Petit, então agradeçam a eles pela gentileza, haha. As regrinhas são as mesmas da última vez:













Fiquem ligados que vai até 20/07 e boa sorte para todos! Agora vou passar algum tempinho do meu aniversário, de 17 mesmo, não 7, colorindo. Beijão!

Não sei vocês, mas eu acho que marcador pouco é bobagem. Os leitores mais antigos devem até conhecer minhas odisseias em livrarias para consegui-los, haha. Também já postei dois DIY's com esse tema, vocês podem conferi-los aqui e aqui. Porém, dessa vez resolvi fazer uma coisa mais prática e tão legal quanto: selecionei diversos marcadores que encontrei na internet, que precisam apenas ser impressos e recortados, estando prontos para uso quase instantaneamente! Se eu tivesse uma impressora colorida, passaria horas fazendo isso. Infelizmente, não é muito viável para mim no momento, pois não tenho, mas espero que todos aí possam aproveitar bastante a seleção de marcadores feita por mim.











 








 

É para usar e abusar, haha. Não recortei para vocês poderem selecionar os que mais gostaram e tentei escolher os marcadores mais inusitados e diferentes, alguns de séries que todo mundo conhece ou pelo menos já ouviu falar. Aprovaram minha ideia? Achei que ficou muito fofo, tanto que estou pensando em, numa próxima vez, eu mesma editar/personalizar alguns. Agora, quero para já aqueles marcadores de Hora de Aventura!

Bom dia gente! Hoje vou continuar a postagem a que dei início aqui, sobre as capas de livros mais bonitas da minha estante. Dessa vez a "prioridade" são os livros que ainda não li, porém quando fiz a primeira parte dessa postagem realmente não havia lido Eleanor & Park e O Reino das Vozes que não se Calam, por isso eles estão agora. Bom, se dessa vez julgarmos o livro pela capa, essas histórias abaixo serão maravilhosas, haha.

Trono de Vidro ainda tem o incrível bônus de contar com uma contracapa maravilhosa, além de só a parte da frente. É impossível resistir assim.

Gente, se vocês soubessem quantas séries que eu possuo apenas o primeiro volume... dá quase vontade de devolver, mas calma, eu disse quase. O que farei, na verdade, é comprar os próximos volumes mesmo. 
Vou aproveitar essa postagem e pedir desculpas por não poder vir aqui tão regularmente quanto antes, mas a escola está cada vez mais puxada e ENEM e vestibular não saem da minha cabeça. Espero que compreendam e não esqueçam o L&C, haha. Um beijo!

Olá! Faz algum tempo que não posto citações por aqui, mas agora, cá estou, para mudar isso! Acho incrível como, as vezes, uma frase com a conotação certa, ou apenas motivadora pode mudar seu dia. Também existem aquelas que nos mostram algumas verdades e sobre as quais podemos refletir. Porém, o que seriam delas sem seus respectivos livros?
Pessoal, era só para ser uma introdução ao post, mas agora vai virar um pequeno desabafo. Quantas vezes você, leitor, já não se deparou com um status/legenda em qualquer rede social, e pensou "poxa, conheço essa frase, é de tal obra"? Então, curioso, procura o nome do fulano, porém quando o reconhece, se espanta ao perceber que o dito cujo nunca chegou perto de um livro na vida. Para piorar, ainda copiou uma citação com erros de ortografia.
Se eu tenho algo contra isso? Não, desde que seja usado moderadamente e que pelo menos a pessoa conheça o livro ou que a frase faça sentido para ela. É muito chato mesmo usar só para aparecer ou coisa do tipo.
Enfim, é só uma reflexão mesmo, haha. Vamos ao tema da minha discussão?











E, para concluir, gostaria que, se vocês têm frases que leram e nunca mais esqueceram, os inspiram ou simplesmente adoram, deixassem elas abaixo, nos comentários, então eu poderei usá-las na próxima vez que a coluna aparecer aqui no blog! Além disso, me desculpem pela demora, queria ter postado ontem, mas, infelizmente, não consegui. Beijos e obrigada pela paciência!