O Reino das Vozes Que Não Se Calam



Título Original: O Reino das Vozes que não se Calam

Autor(a): Carolina Munhóz & Sophia Abrahão

Editora: Rocco (Selo Fantástica)

Número de Páginas: 285

Ano: 2014




Um mundo cinza e sem graça. Ou ao menos é assim que Sophie enxerga a maioria das coisas ao seu redor. Apesar de ter uma vida confortável e a amizade de uma garota popular por um acaso do destino, Anna, que sempre tenta incluí-la em seu grupo e programas fora da escola, Sophie se sente muito deslocada, esquisita até. Sendo tímida, quase nunca vai a baladas, shows e similares. Porém, quando Anna a chama para ir a festa de uma colega, ela resolve agradá-la e aceita o convite.

Apesar de não gostar muito de seu corpo, por ser mais magra do que a maioria, no dia da festa Sophie se arruma e fica bem satisfeita com sua aparência. Quando chega no local e encontra a amiga, elas se divertem na pista de dança até Anna falar para as  duas irem ao jardim dos fundos, encontrar com um de seus amigos, Rick, pois parece que ele está a fim de Sophie. Ela não quer ir, mas acaba concordando por insistência da amiga.

Quando chegam do lado de fora, porém, se deparam com uma cena inesperada: Rick está beijando a anfitriã da festa, Angélica. Logo que vê a cena, Anna fica furiosa, pois tinha combinado com o garoto que ele ficaria com Sophie. Ricardo, sem o menor indício de tato, explica tudo isso para a garota com quem estava ficando e deixa Sophie ainda mais estarrecida. Agora, sabendo que sua amiga armou tudo aquilo e se sentindo traída, ela dá um basta na amizade de anos ali mesmo. Em seguida, liga para seu pai e pede para ele buscá-la.

Logo que chega em casa vai para a cama, sem nem se dar ao trabalho de tirar os sapatos e chora de raiva até cair sono. Porém, segundos antes de ficar inconsciente ela tem a impressão de ser sugada. Quando abre os olhos e percebe onde está, Sophie fica maravilhada com a capacidade de sua mente de criar algo tão bonito. Ela está em uma cadeia de montanhas, com uma floresta ao seu redor, suas roupas estão diferentes e ela usa uma pequena cartola com um adereço de três pontas, que não consegue identificar. Sente-se incrivelmente feliz naquele lugar.

Anda a esmo procurando por alguém, mas encontra apenas um grande pássaro negro. Por ter visto um documentário sobre aquele tipo de ave, ela sabe que não são perigosas e como é apenas um sonho, apesar de parecer muito real, resolve montar no pássaro, depois de pedir por permissão. Ele a leva então para um passeio, saindo daquele planalto e descendo cada vez mais, até Sophie poder ver um reino. 

Depois de planarem por algum tempo, os dois param na frente de um lindo castelo. A garota não consegue conversar com ninguém, mas nota uma senhora perto dela, vestida como alguém da realeza. Percebe então o que era o enfeite em sua cartola: uma pequena coroa. Antes de poder esclarecer qualquer coisa sobre aquele estranho lugar, ela acorda e com espanto percebe que já são 5 horas da tarde. Do dia seguinte. Após essa viagem maluca, Sophie pesquisa tudo o que pode sobre sonhos lúcidos e passa cada vez mais tempo dormindo, deixando o mundo real e por consequência sua vida, em segundo plano.


Que amor esse livro nacional, gente! Queria ter dado 5 estrelas, mas vocês me conhecem, eu sou chata, o livro tem que agradar mesmo, em todos os aspectos para isso acontecer. E apesar de eu ter adorado O Reino, faltou alguma coisa nele. A capa é maravilhosa, a história é boa, eu adoro o tema, tem várias referências legais, mas... uma coisa que talvez possa ter uma parcela de culpa nisso, é as autoras chamarem Sophie de "a ruiva" continuamente. Eu realmente não consigo gostar desse tipo de referência, acho muito feio. Se nem em fanfic é legal, imaginem em um livro assim.

Como não podia deixar de ser, os personagens secundários são muito queridos. Tanto os da Terra quanto os do Reino, que a propósito, se chama Tiru. Realmente não faço ideia do porquê e se tem alguma razão para isso, mas se sim, eu gostaria de saber. Voltando aos conhecidos de Sophie no mundo real, os pais dela são incríveis e eles merecem um destaquezinho nessa postagem por isso, ela conhece um cara muito legal e a amiga dele, que também é legal e sua (ex) amiga Anna não é tão fútil quanto parece.

Muitas pessoas dizem que se um livro tem mais de um autor dá para notar direitinho a diferença de estilo, mas não acredito nisso. Nunca aconteceu comigo ao menos, com exemplar algum e em O Reino não foi diferente. Também sabia que a Sophia Abrahão tinha um blog, era atriz e cantora, mas não que ela escrevia também e foi uma boa surpresa. A parceria dela e da Carolina Munhóz deu muito certo, pois antes eu não gostava muito da Carol, mas esse livro me fez mudar de opinião. Por enquanto.

Quanto ao tema, depressão na adolescência, por mais que me interesse, não sei se foi abordado de forma correta no livro ou muito superficialmente. Apesar de eu ter gostado, fica a critério de cada um. Uma curiosidade: acho que entendi a relação entre a história e o título, O Reino das Vozes que não se Calam. Sophie gosta muito de cantar e até toca violão, porém o maior espectador dela é seu cachorro. E em Tiru, ela não precisa se preocupar com coisas como vergonha, além de os habitantes do Reino darem bons conselhos para ela.

Eu acabei associando esse Reino ao de A Menina que Semeava. São vários pontos em comum e se alguém já leu um deles ou os dois, irá entender, mas o principal é que não sabemos se o lugar é real até, basicamente, a última página. Enfim, foi uma aquisição que valeu a pena, porém o livro poderia ter me prendido mais. Li ele em apenas um dia, entretanto foi mais teimosia em cumprir a meta imposta por mim, do que uma leitura fluída, infelizmente. Contudo, não deixou de ser um tempo agradável.


17 Comentários

  1. Oi Renata! Adorei a resenha, o livro parece ser muito bom, mas devo confessar que o que mais me chamou atenção foi essa capa maravilhosa. Ah e achei legal a relação entre o título e a história. Também não podia deixar de comentar sobre a tua descrição que eu simplesmente amei. "Sonserina, Filha de Atena, Distrito 4, Casta 3, Divergente" <3 haha. Teu blog é lindo, com certeza voltarei aqui mais vezes. Beijos, sonhosdegiz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Whenia! Fico feliz que gostou! Sim, a capa é maravilhosa mesmo *-* Aw, que bom, haha, mas lembre-se, essa pode ser só minha opinião, vai que eu tô errada, né (*chaham* não é provável *chaham*).
      Ah, hehe, que amor você, adorei que tenha gostado! Muito obrigada flor, espero mesmo te ver por aqui novamente, beijão :3

      Excluir
  2. Renata que bom que vc leu e expôs sua opinião sobre esse livro aqui. Você sabe que já li todos os livros da Carolina Munhóz e sou apaixonada por suas capas sempre lindas. Acho os enredos interessantes mas sempre sinto que poderiam ter sido melhor desenvolvidos; exceção para o livro A Fada que amei completamente.
    No caso da Sophia Abraão pelo que fiquei sabendo ela colocou na personagem muitas das coisas pela qual ela passou na vida e claro adicionou alguns pontos ficcionais.
    Também gostei mas faltou algo para me tocar emocionalmente, enfim valeu ter conhecido a história.

    A Carolina esta lançando um novo livro: Por um toque de ouro. Mas confesso que não irei investir agora, estou com outras prioridades. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, que bom que gostou! Jura? Nossa! Não creio que faria isso, até porque não morro de amores por ela, mas a maioria das capas que já vi são lindas mesmo. Não é só o enredo, acho que é o jeito que ela escreve também... vou dar uma chance para ele, com certeza!
      Pois é, vi sobre isso também! Vai dizer, nem parece, haha. Algo por aí mesmo.
      Eu também não, mas vou conhecê-lo com certeza, obrigada pela dica :)

      Excluir
  3. Tiru / tirulipos / tirulandia...
    Sao referencias a como a Sophia chama os fas e o reino que eles criaram aqui, pra se amarem, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huuuum, obrigada por esclarecer flor c:
      Haha, entendi!

      Excluir
  4. Nossa adorei! Deu até vontade de ler!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Re,
    Não sei o que esperar desse livro. Na última resenha que li, a blogueira disse que os pontos sobre bullying e outros temas pesados não foram muito bem abordados e que a escrita é um pouco infantil... Queria muito ler esse livro, mas acabei desanimando. Mas, lendo sua resenha o interesse voltou. Essa premissa de ir para um outro lugar onde a vida é bem mais fácil e seres encantados existem é bem bacana. Vou deixar esse livro na minha lista para ler assim que der.
    Também quero ler os livros da Carol, mas parece que a parceria com a Sophia deu certo né?
    Beijos!!

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Bá!
      Bem, então vai ter que ler mesmo para descobrir, haha. Que bom! Também acho, e isso, pelo menos no meu ponto de vista, foi bem abordado na trama. Isso aí o/
      Sim, acho que deu mesmo! Quanto a mim, não pretendo ler um livro dela tão cedo.
      Beijo ;*

      Excluir
  6. MAS QUE CAPA MA RA VI LHO SA!
    Desconhecia o livro até então, mas creio que leria. ótima resenha.

    http://blogexplicita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é MA RA VI LHO SA mesmo, Becca! Jura? Ah, que bom então (:
      Obrigada flor!

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Hey Re! Estou louca pra ler esse livro mas ainda não parei e de fato li ele, toda vez que eu começava eu parava, não sei, acho que ainda não é o tempo hahahahahahaha amei a resenha.. Mas sério que elas ficam falando " A Ruiva " o livro inteiro???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hanna! Poxa, porquê? Faz isso sim (:
      Ah, hahaha, péssima desculpa. Own, obrigada!
      Ai, ai, bem, metade dele pelo menos.

      Excluir
  9. Olá,
    Gostei bastante da sua resenha, sempre quis ler esse livro e tive receio de comprar, mas agora que vi a resenha parece ser bem legal, a capa também é fofa *-*

    Beijos:*
    Dani - http://www.escritasnachuva.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani, fico feliz que tenha gostado, obrigada!
      É bem legal sim, só não tanto quanto poderia ter sido, rs. A capa é linda *-*
      Beijo!

      Excluir

Comentem, vou adorar saber o que acham do post e do blog! Sugestões são sempre bem-vindas, assim como você c: