Então, aqui estou eu, exatamente um ano depois de ter criado o Livros & Chantilly e nenhum dos meus leitores entendeu ainda que o "e" é aquele comercial mesmo. Haha, brincadeira pessoal, as vezes eu nem acredito que cheguei tão longe com o blog. Não vou dizer que não pensei em desistir, mas felizmente essas ideias foram breves e não passaram disso, meras ideias. 
Para agradecer a todos vocês pelo apoio, comentários positivos e por indiretamente não me deixarem parar de postar aqui, nada mais justo que sortear o que vem aqui para ler sobre. Um livro! Mas, não é qualquer obra e sim, um livro que eu amo de paixão, um dos primeiros que "resenhei" no blog. A Maldição do Tigre, de Colleen Houck! Vou avisando que é só o livro mesmo, os personagens continuam sendo meus, rs.

















Para acompanhar o livro, também mandarei alguns marcadores, indispensáveis durante a leitura. Pacote completo! Como podem ver na imagem, ele vai até dia 30 de março. Para participar, é só se inscreverem no formulário do rafflecopter abaixo. 
Porém, eu não queria que esse fosse só mais um sorteio comum, então resolvi adicionar uma, na verdade duas, entradas diferentes. Após se inscreverem nas primeiras, vão notar que tem uma dizendo Responda à uma enquete. Essa pesquisa, como está explicado logo abaixo da opção, é aquela embaixo de Quem Escreve, perguntando se vocês gostariam que as resenhas tivessem fotos. A outra é a Leave a blog post comment, não obrigatória, mas quem responder terá mais chances de ganhar. Nessa, precisam deixar um comentário aqui na postagem, explicando porque gostariam de ganhar o livro.

a Rafflecopter giveaway


É isso pessoal, espero que curtam e que venham muitos aniversários ainda. Não esqueçam de preencher tudo certinho, beijos!




Título Original: Desafios do Amor

Autor(a): Thaís Silveira Venzel


Editora: Virtual Books


Número de Páginas: 136


Ano: 2013





Anne é uma garota estudiosa, quieta, porém se dá bem com seus colegas, especialmente sua melhor amiga Vick e Rafael. Também ótima filha e uma amiga leal, ela tem uma vida confortável, não lhe falta nada e é agradecida por isso. Sua família é muito unida, daquelas que gostam de fazer refeições à mesa e não tem segredos entre si. Elizabeth, sua mãe, é a típica dona de casa de classe média e seu pai, Rodrigo um advogado bem sucedido, mas mesmo assim eles são simples, não ostentam grandes luxos. 

A única que destoa um pouco desse padrão certinho é Júlia, a irmã mais velha de Anne, que tem 20 anos e nenhuma pretensão de arrumar um emprego. Entretanto o que falta de vontade para trabalhar, sobra em tempo para sair. Assim como Vick, Júlia adora ir ao parque encontrar com seus amigos. Um deles é Caio, que chama a atenção de Anne quando eles se encontram brevemente, em uma sessão de filmes na casa de amigos.

Vick não cansa de dizer para Anne que um dia ela deveria ir ao parque junto com sua irmã, para conhecer melhor Caio, que se diz interessado nela, e também se divertir um pouco. De tanta insistência acaba aceitando e quando chega logo vê que as coisas não são bem como pensava, pois apesar de beberem, não usam drogas e são pessoas muito legais. Caio é muito gentil, eles conversam bastante, trocam o número de celular e quando a garota decide ir embora, se oferece para acompanhá-la. Quando chegam na casa dela ele a beija, e Anne consegue admitir para si mesma que está apaixonada por ele.

A vida dela agora, está melhor do que nunca. Continua sendo a primeira da sala, se encontrando com Vick na escola e Caio nos fins de semana, no parque. Mas, um dia quando volta da escola encontra sua mãe em prantos no sofá. Como não sabe o que poderia ter acontecido para ela ficar nesse estado, faz o possível para consolá-la e então conseguir uma reposta. Quando se recupera, Elizabeth lhe conta que está com câncer de mama, mas pede sigilo absoluto, apenas seu pai e sua irmã também sabem.

Logo que sua mãe vai para o quarto, descansar, Anne se desespera e chora pelo restante do dia. Quando desce para o café, percebe que o mesmo aconteceu com sua irmã. Mais tarde, como sempre foram muito unidos, Elizabeth pede que as filhas a acompanhem até o médico na manhã seguinte, porém o estado de saúde não é dos melhores. E é depois desse acontecimento, com algumas implicações, que as coisas começam a mudar de verdade. 

Adorei esse livro. E sim tenho minhas razões, mais especificamente duas. 1ª: é dramático. A protagonista tem longas cenas de choro e sofre bastante. Acho que essa é uma das sensações mais fáceis de serem transmitidas para o leitor, eu particularmente adoro. 2ª: é um clichê. Você sabe o que acontece, quem é mocinho e vilão, até como vai acabar. É uma leitura mais leve, então podemos ler sem preocupação e as vezes é muito bom ter um lugar-comum para o qual fugir, papel que o clichê acaba cumprindo.

Tenho que ser sincera, se eu morasse na mesma cidade que a Thaís, ou vice-versa, depois de ler esse livro ficaria com medo de estar sendo seguida. Isso porque a Anne, é muito parecida comigo gente, pelo menos na "primeira parte" do livro. Até temos a mesma opinião sobre algumas coisas! O Caio não é o bad boy que parece no início, quando ainda não estamos muito familiarizadas com os personagens. E isso é demais, praticamente inovador; ele é demais!

Algo que eu adorei ver nessa obra, foi o fato de todos nela terem um motivo para agir de tal jeito, nada é sem razão. Você nem consegue ter raiva dos personagens desagradáveis direito, pois eles também tem uma história, um passado que acabou por os tornar quem são hoje. Logo que percebemos isso no livro, conseguimos entender que é do mesmo modo com as pessoas ao nosso redor, assim como nós mesmos. Sei que é muito difícil não julgar as pessoas de cara, mas agora vou pensar duas vezes antes de fazer isso.

É uma escrita simples, adolescente, ótima para relaxar e rapidinha de ser lida. Ou fui eu que devorei o livro, haha. Em suma, indico principalmente para quem gosta de drama, romance e um bom clichê. Fala sério, tem combinação mais fofa que essa? Eu, como não choro muito fácil, fiquei apenas com os olhos marejados, do contrário certamente precisaria de lencinhos. 

Não sei vocês, mas eu até gosto de tatuagens. Desde que a parte do corpo escolhida não esteja toda desenhada, é bem legal. Pequenas figuras nos pulsos, dedos, nuca ou tornozelos são minhas preferidas. Se eu não tivesse tanto medo de agulhas, e por ventura de inflamações, gostaria de fazer algo em um (ou, quem sabe, mais) desses lugares. Até já fiz uma de henna uma vez, no pulso, das Relíquias da Morte. Harry Potter na veia, rs. Se eu achar a foto, vou postar aqui.
Enfim, essa é minha opinião, o que não quer dizer que eu não goste de algo mais elaborado, apenas que não faria. Por maior que seja minha paixão por livros, não acho que eu gostaria muito do resultado, então meu trabalho por enquanto, é apenas admirar a tatuagem e coragem de outras pessoas.







1 - Peter Pan; Fofa demais, não podia faltar a tattoo de um dos maiores clássicos infantis.
2 - Estante de Livros; Pode até ser um pouco maior do que a maioria, mas está em um local não muito visível. Imagina quando aquela garota vai para a praia? Muito amor.
3 - Livros Voadores; É, fui eu que dei o nome, não achei um melhor. Gostei muito da ideia dessa.
4 - Os Instrumentos Mortais; Não podia faltar a tatuagem mais conhecida do mundo literário. Caçadores de Sombras arrasando em runas desde 1234.
5 - Crepúsculo; "E então o Leão se apaixonou pelo cordeiro..." Frase marcante de Crepúsculo.
6 - Academia de Vampiros; Outra tatuagem muito conhecida do mundo literário. As marcas molnija, que representam quantos strigoi cada Dhampir já matou.

A maioria das que selecionei aqui, são como falei antes, menores, em lugares mais discretos. Minhas preferidas, de longe, foram a de until the very end, a que tem real escrito dentro da flecha, do sol e lua com escritos em dothraki, da Alice de costas e a do Peter Pan. Agora tenho muita inspiração, só falta a coragem e autorização, rs. Vocês fariam alguma dessas, ou talvez outras, que viram por aí?

O booktrailer desse mês, que está bem atrasado, diga-se de passagem, é de um livro que me interessou muito, apenas pela sinopse. O Atlas Esmeralda me parece ter uma linguagem no estilo The 39 Clues, um pouco infanto juvenil, porém nada que torne a leitura mais desagradável e o autor, um Rick Riordan da vida, só não sei se com ou sem o humor. Abaixo, vou deixar os 2 vídeos que encontrei. Não são os mesmos, apenas parecidos e recomendo que assistam ambos, para terem uma experiência mais completa sobre o que fala a obra.





A biblioteca da minha escola até tem ele, só não retirei ainda porque ele é o primeiro livro de uma série, da qual eles não compraram os outros volumes, e eu já tenho muita coisa inacabada. Bom, também não vou morrer por isso, então vou ver se leio este ano.
Acharam os booktrailers interessantes? Particularmente, prefiro os vídeos que tem esse tipo de arte ao invés daqueles com atores, pois na maioria das vezes parece falso, ou feito com pressa. O que não quer dizer que não tenha uns muito bons, como o que eu planejo trazer mês que vem. Surpresa!

Olá povo! Estou de volta, como devem ter notado por essa postagem e quero agradecer a todos os que me desejaram boas férias. Obrigada amores, foram sim! Bom, sei que não postei enquanto estava fora, em compensação modifiquei um template da Follow Your Dreams, e agora o L&C está de cara nova! Eu adorei, mas também não quero ver outro código html na minha frente pelos próximos meses. Demorei um pouco mais do que o esperado para voltar a postar, precisei arrumar uns códigos relacionados as fontes, pois apenas meu computador conseguia interpretá-las. Qual é a graça disso né, as principais pessoas ficariam de fora: vocês. O que acharam da repaginação? Conseguem visualizar tudo certinho? Me avisem qualquer erro, viu e caso a sidebar apareça lá em baixo é só dar crtl - que ela aparecerá do lado.
Feita a introdução, hoje vim mostrar o que chegou para mim das parcerias, enquanto eu estava fora. Veio o livro Desafios do Amor, da Thais S. Venzel e outro, que não é de parceria, contudo foi uma gentileza do autor e acho legal mostrá-lo aqui, como fiz com A Profecia de Samsara. É o Pseudopoesia, do autor Alves Rosa. 
 

Gente, não sei se sou eu que tenho a imaginação fértil (provavelmente) ou vocês também pensaram isso, mas eu acreditava que a garota na capa de Desafios do Amor era a Manu Gavassi. E adivinha quem foi perguntar para a autora e acabou descobrindo que era, na verdade, a irmã da própria? É, só podia ser eu. Bom, fica a dica, não é, hehe. 
Assim que eu ler o livro da Thais irei resenhá-lo, talvez semana que vem ou na próxima. Até daqui a alguns dias!