Leitores, 2014 foi puxado, mas muito bom para meu eu literário. Nesse ano: 

  • Criei o blog: em 27 de fevereiro de 2014 nasceu o Livros & Chantilly, com um layout bem google e resenhas de dois parágrafos. Como o tempo passa, parece que ontem apenas estava falando com minha nova amiga sobre criá-lo. Não imaginava que em 10, 11 meses, teria tantos parceiros incríveis e leitores maravilhosos! Um obrigado muito especial à todas as editoras, autores e pessoas com quem tive a oportunidade de estar em 2014 e espero continuar com em 2015!
  • Minha estante cresceu: com orgulho e menos dinheiro no bolso, principalmente devido ao blog, agora tenho 4 prateleiras grandinhas cheias de livros! Ok, duas ainda estão esperando para serem lidas, mas isso não é problema.
  • Me despi de preconceitos contra basicamente qualquer tipo de livro: posso até continuar julgando livros pela capa, rs, mas não falo mal de nenhum antes de ler ou conhecer algumas opiniões bem fundamentadas. Todos nos trazem novas histórias, ideias e diferentes visões de mundo. #quebrilhemosvampiros!
  • Conheci muitas pessoas legais por conta do L&C (não estão em ordem de preferência, viu?!): Leonardo, Alyne, Aline, Bárbara, Mah, Thais, GdS, Gabi e Lu... eu adoro todos vocês! E se esqueci de alguém, me perdoe e culpe minha memória que não serve para muita coisa.
  • Ganhei meu primeiro sorteio: essa aqui foi adicionada graças a um feliz e-mail que recebi ontem da Carol Koplin do Citação num Click. Para fechar o ano bem, vou receber O Presente do Meu Grande Amor. Vocês não tem noção de como fiquei feliz!

Também li muitos livros ótimos. Outros nem tanto, mas é a vida. O problema é que apesar do skoob, não lembro da metade, então pretendo criar uma página no blog só para meus livros lidos de 2015, separados por mês e com imagem, desde que o editor de postagens do blogger colabore, claro. Não vou fazer uma Retrospectiva em si, pois é quase certo que eu esqueceria uma obra ou série de que gostei muito e não acho justo com as que ficam de fora, haha.
E adicionado de última hora, para fechar o post, um desafio menor e na minha opinião ainda mais abrangente do que a Reading Challenge 2015 que eu pretendia fazer. É o Desafio das Capas, que encontrei no Recanto da Mi.




















São apenas 13 livros, mas será o primeiro desafio literário de que participarei e quero ter certeza que irei conseguir concluí-lo, sem falar que adorei os critérios! Quando ler algum deles, marcarei na página de Lidos em 2015. Qualquer um que quiser participar também é muito bem vindo, seja blogueiro ou apenas um leitor procurando por coisas novas.
Novamente, obrigada a todos, sejam visitantes, seguidores, parceiros, enfim, um ótimo 2015, recheado de paz, saúde, amor, prosperidade e claro, livros!

Atualização: eu decidi parar com a coluna Livro do Mês! Infelizmente, acho que essa postagem acabou ficando meio nada a ver, pois se não li nenhum livro excelente, porque indicar tão fervorosamente assim? Entretanto, vou tentar resenhar mais para compensar! Vou até sentir falta dela, mas espero que compreendam.

Hey amados! Fui indicada pela Bárbara, do Imperfeição Literária, para responder a essa tag. Ela consiste em responder à 15 perguntas como se estivesse fazendo o jogo de palavras cruzadas. Uma dica e você tem que escrever o que é. No caso da tag, uma pergunta e você a responde.

1- Vox Populi (um livro que recomendaria para todo mundo).

Como em uma pergunta semelhante respondi Estilhaça-me, agora escolho A Hospedeira, da diva Stephenie Meyer. Um romance sem igual, com muita ação e emoções.

2- Maldito plágio (um livro que gostaria de ter escrito).

A saga Harry Potter para ser rica e famosa

3- Não vale a pena derrubar árvores por causa disso (um livro que não deveria ter sido escrito).




Acho maldade esse negócio de um livro tão ruim que não deveria ter sido escrito, mas meu voto vai para Numbers. Meio sem pé nem cabeça, com um final previsível e continuações dispensáveis. Ou talvez eu só não tenha ido muito com a cara mesmo.


4- Não é você, sou eu (um livro bom lido na hora errada).

Sempre escolho minhas leituras com cuidado, mas O Pequeno Princípe, que li muito nova e não entendi nada de nada. Preciso relê-lo, pois perdi a parte boa dele.

5- Eu tentei... (um livro que tentou ler mas não conseguiu).

Raramente abandono livros, mas Contos de Fadas Eróticos, porque era pouco conteúdo interessante para muito sexo sem necessidade. Sim, eu li o título do livro, rs.

6- Hã? (um livro que leu e não entendeu nada ou um livro que teve um final surpreendente).

Deslembrança. Demorei metade do livro para entender o que a garota lembrava e o que esquecia.

7- É tão bom, não foi? (um livro que devorou).




Correr ou Morrer. Em dois dias, atarefados, tinha acabado. Quase infartei de tantos cliffhangers no final de cada capítulo.


8- Entre livro e tachos (uma personagem que gostaria que cozinhasse para você).

Os elfos da cozinha de Hogwarts. Ok, tudo bem que eu apoio a F.A.L.E. (Fundo de Apoio a Libertação dos Elfos Domésticos), mas eles são assalariados e tem tanta coisa boa naquele salão comunal!

9- Fast Forward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada).

A Fada e o Bruxo. Gente, só queria que esse livro acabasse, alem de ser meio enrolado a história não é das melhores, ao contrário da capa.

10- Às cegas (um livro que escolheria só por causa do título).




Fangirl. O título e a capa foram as primeiras coisas que me atraíram, mas então li a sinopse e soube e soube que era o livro perfeito.

11- O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia).




A Droga da Obediência e todos os livros da Turma dos Karas na edição antiga.


12- Rir é o melhor remédio (um livro que tenha feito você rir).

O Theorema Katherine. Podem conferir a resenha aqui.

13- Tragam-me os Kleenex, por favor (um livro que tenha feito você chorar).

Principalmente livros finais de séries, nenhum é realmente completo sem algumas lágrimas rolando. Mas escolherei um livro único, Um Amor Para Recordar. Esse é um dos meus livros favoritos e me acabei em lágrimas, mesmo com 10, 11 anos.

14- Este livro tem um V de Volta (um livro que não emprestaria a ninguém).

O meu box de Maze Runner. Minha melhor amiga já pediu e eu tive que negar, porque eles são MEUS. Não toque, nem chegue perto, não respire neles e principalmente não os tire da caixa! Meus preciosos...

15- Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que está constantemente a adiar).




A Dança dos Dragões. Além de ter lido alguns spoilers eu não gostaria de esperar 10 anos até que Ventos do Inverno seja lançado. Por favor, se apresse Tio Martin Assassino.


Prontinho! As respostas de alguém combinariam com as minhas? Ah, vou indicar a Aline minha querida amiga do Leituras, vidas & Paixões. Espero que goste, um beijão!



Título Original: Amateur Angel

Autor(a): Karri Thompson

Editora: Jangada

Número de Páginas: 
256

Ano:
2013







Voltei pessoal! Como prometido, resenha (:

Ashley acaba de sair do ensino médio e está voltando para casa no seu aniversário de 18 anos, quando um carro a atinge. Subitamente, ela está em um lugar bonito, cheio de paz, porém seu coração não bate mais. É orientada por um senhor a ficar na primeira de três filas no local, onde receberá as boas-vindas a sua nova condição.

Confusa e contra todas as provas, se recusa a acreditar que está morta e tenta conversar com alguém da segunda fila, certa de que aquilo é um sonho do qual não consegue acordar. Porém antes que consiga mais explicações da garota a sua frente, a não ser algo relacionado a "anjos da guarda", é sugada pelo aparente nada á sua frente.

De repente está caindo na Terra, e logo se vê dentro de uma sala de massagens. Descobre que nem a massagista nem o cliente podem vê-la ou ouvi-la, porém o anjo da guarda da profissional pode. Ela é Margie, a qual, como todos os outros anjos, pode ler a alma de Ashley, ver dentro dela, e dizer que a garota não recebeu o "treinamento" próprio para proteger alguém. Mas como acredita que tudo tem um propósito, tenta ajuda-la a cumprir melhor seu dever, explicando, por exemplo, o fato de não poderem ficar a menos de três metros de seus protegidos e algumas outras coisas.

Aslhey percebe que realmente não está sonhando quando quem está deitado na cama de massagem se levanta, pois ele não é qualquer pessoa. O cara é simplesmente o cantor de sua banda favorita, a Sandher, Cannon Michaels, em pessoa. O homem mais desejado do planeta, com a voz mais sexy imaginável. E ela é o anjo da guarda dele.

Depois de tantas novidades, Ashley já resignada com sua nova condição, precisa seguir Cannon para todo lugar. Nisso, acaba descobrindo que ele não é o grande ídolo que pensava, pois bebe e usa Oxycontin, um remédio à base de ópio sintético, além de ser egoísta. Trata mal seu empresário, Jonathan, e não se dá bem com os companheiros de banda. Mesmo com tudo isso, ela tem que descobrir como amá-lo incondicionalmente sendo seu anjo da guarda, apesar de todos os defeitos, deixando suas emoções humanas de lado. Porém, nem sempre Cannon é rico mimado que ela conheceu e isso a afetará muito mais do que deveria.

Esse livro achei numa livraria de uma praia perto da onde eu veraneio. Vou lá sempre que estou por perto, desde que abriram, mas aparentemente só neste verão criaram uma parte que vende livros na promoção, quase como um sebo. Foi ali que achei Anjo Amador, por apenas R$5! Como já tinha ele em ebook, mas uma força maior não me deixava lê-lo, pensei, por quê não? Ele estava praticamente gritando meu nome eu juro. Não levei 2 minutos para decidir comprá-lo.

Procurei por ele no skoob e acabei por encontrar muitas resenhas e notas negativas. Não achei um livro ruim, mas é uma leitura mais para as férias mesmo, leve, sem grandes segredos ou reviravoltas. Além disso, precisava urgente me curar da ressaca literária que tive com Amanhecer e enquanto lia Anjo Amador acabei por me esquecer um pouco da dor de acabar essa série maravilhosa claro, depois de chorar rios ouvindo a Thousand Years e lembrando de momentos Edward/Bella.

Só quero falar mais especificamente de um anjo da guarda, o de Jonathan, pois ele é muito sábio e dono de uns dos melhores conselhos do livro. Apenas no final descobrimos quem ele realmente é aposto que ficamos mais surpresos, ou nem tanto, do que a própria Ashley. Por falar na protagonista, ela é sem sal. Certinha, nenhum problema com isso, mas ela não tem muita emoção e é um pouco conformada demais.

Apesar de ser uma obra para passar o tempo, tem várias lições. Não vou falar de todas aqui, mas uma das que mais aparece, tanto no livro como na atualidade, é de não julgar alguém pela aparência. Aprendemos que todas as pessoas tem dois lados, mas um pode estar mais em evidência do que o outro, dependendo de como agem em determinadas situações. Também podemos conhecer bastante o mundo das celebridades e mídia e eu fiquei surpresa, é claro que não pensava que fosse só flores, mas espero que tenham exagerado um pouquinho.

A autora até que tentou criar situações engraçadas, mas foram meio fraquinhas. A emoção mais forte que me ocorreu uma hora foi orgulho, do Cannon, não vou contar mais para não dar spoilers. O final, esse sim, eu achei ruim, meio sem pé nem cabeça, além de injusto. Karri o deixou basicamente em aberto, então ficamos meio, tá e aí, li toda a história esperando um final legal e agora me aparece isso?

Ah, não esperem romance no livro, pois, infelizmente, a história não é sobre como uma anjo inexperiente e uma estrela do rock consolidaram seu amor. Do jeito que poderia ter sido. Enfim, leiam se tiverem uma oportunidade imperdível, tipo eu, ou podem aguardar um pouco, pois não fará uma grande diferença nas suas vidas.



Nota: 

Hey leitores! O L&C é um blog que fala não apenas sobre livros, mas também leitura, qualquer coisa que possamos passar os olhos e encontrar palavras. Placas, panfletos, sinopses, legendas, rótulos de shampoo e por aí vai. Brincadeirinha, mas é uma introdução para o que eu falarei hoje: fanfics, ficção de fãs!
Ah, esses maravilhosos contos ou até obras inteiras, que qualquer pessoa com ideias e internet pode expôr online! As vezes são partes de uma série/livro já existente, mas também podem ser originais, ou seja, novas histórias! Claro que essa é a parte boa, mas também há a parte não tão legal assim. Como quem quiser pode postar, veremos coisas que não são agradáveis para a gente e muitas escritas estranhas, algumas realmente ruins.




E supondo que vocês já saibam dessas coisas, vou pular para o assunto que eu realmente queria falar sobre hoje, as fanfics interativas. Se leram a minha descrição, sabem que elas fazem parte da minha vida, haha, mas infelizmente não estão sendo lançadas mais tantas ultimamente. Nelas podemos fazer parte da história, dando, geralmente nosso nome à personagem principal, características e afins. Às vezes se pede pouca coisa, outras bastante. 
Enfim, eu gostaria de indicar algumas fics para vocês hoje, que eu realmente gostei demais! Serão apenas 4 calma Tris, mas é de coração e se gostarem, sabem que é só pedir e darei um jeito de ler outras e então indicá-las também, na medida do possível.

Fala sobre o universo de Nárnia, você é uma garota que sofreu um acidente de barco e foi parar em uma terra estranha, com animais falantes. Romance com o Príncipe Caspian.
Nota: 
Interativa: sim

É um crossover de Os Vingadores, The big Bang Theory, Piratas do Caribe, House e Sherlock Holmes. Você mora com Sheldon e Leonard e um dia o Homem de Ferro acorda no sofá de seu apartamento. Romance com Tony Stark/Homem de Ferro.
Nota: 
Interativa: sim

Fic sobre o ship Clato. Conta como como era a vida de Clove e Cato antes e durante os jogos vorazes.
Nota: 
Interativa: não

Você é uma garota que mora com os Stark, em Winterfell, que lhe acolheram em um momento difícil. Romance com Jon Snow.
Nota: 
Interativa: sim

Acho que essas são as primeiras fics que tenho a oportunidade de chamar de favoritas! Me matei procurando Snow para vocês, pois estava olhando no site errado, rs, mas se gostam de qualquer uma das séries mencionadas na pequena descrição que fiz, leiam as histórias sem nem pensar duas vezes! Valem muito à pena!

Sites em que eu geralmente procuro por fics, caso queiram dar uma olhada: 

Título Original: Twilight

Série: Crepúsculo (Livro 1)


Autor(a): Stephenie Meyer


Editora: Intrínseca


Número de Páginas: 416


Ano: 2008







Isabella Swan é uma adolescente que vive com sua mãe, Reneé, na ensolarada Flórida. A mulher havia acabado de se casar novamente e ela precisa acompanhar seu novo marido em seu emprego, o que não seria viável para Bella, já que a garota precisaria então mudar de escola o tempo todo.


É assim que a garota vai acabar na pequena cidade nublada e chuvosa de Forks, para morar com seu pai, Charlie, o xerife do lugar. Os dois se dão bem, Bella faz as tarefas de casa, tem uma liberdade considerável e um carro. Quando as aulas começam, não lhe faltam pretendentes, muitos garotos a acham notável, mas ela não está interessada em nenhum deles. 


Após fazer amizade com Jessica, Mike e alguns outros colegas, um dia no almoço com eles, Bella nota cinco pessoas sentadas perto da mesa em na qual está sentada. Intrigada com a beleza e áurea de mistério que paira entre eles, pergunta quem são. É inteirada por seus novos amigos de que aqueles são os irmãos Cullen, Emmet, Rosalie, Jasper, Alice e Edward, todos os jovens adotados pelo Dr. Carlisle, que trabalha no hospital de Forks.


Mesmo após satisfazer sua curiosidade, Bella ainda não pode deixar de reparar em Edward Cullen. Ele exerce grande fascínio sobre ela e não ajuda em nada uma hora tratá-la normalmente e na outra evitá-la como se tivesse alguma doença contagiosa. Tudo se torna ainda mais estranho quando o garoto impede sua morte, duas vezes, salvando-a de um carro que derrapou no gelo, usando de uma rapidez inédita.


É a partir daí, de uma conversa com seu novo amigo de La Push, Jacob, e outros acontecimentos suspeitos que Bella começa a desconfiar que Edward pode não ser um adolescente como todos os outros e sim algo bem mais sobrenatural.

Assim que eu comecei a ler Crepúsculo, estranhei um pouco a escrita da Stephenie, porém devo ressaltar que ela não é quase nada diferente do que estamos acostumados, deve ser coisa minha, haha. Bem, eu nunca havia pensado em ler essa série até ver o box dela, com as lindas capas brancas, em promoção por R$ 26,90. Infelizmente, grande parte da minha opção de não lê-la se devia a puro preconceito, porque antes de tudo eu sou potterhead, e infelizmente, a grande maioria falava mal de Crepúsculo e eu fui na onda, sem mesmo ler. Até com os filmes eu ficava meio assim.

Gente, não fazem ideia de como eu me sinto mal por isso, prometo que vou tentar nunca mais julgar uma série pelo que os outros pensam dela, porque eu, posso arriscar dizer, amo Crepúsculo, apesar de alguns probleminhas, mas quase todo o livro tem seus defeitos. Se antes dessa adoração toda eu não podia ouvir A Thousand Years sem derramar algumas lágrimas, imaginem minha reação agora que eu penso na Bella e no Edward.

Por falar nisso, ô casal mais lindo. Fofo. Meloso de vez em quando, mas foférrimo. Logo no início eu achei o Edward bem presunçoso, até um pouquinho arrogante, mas não demorou muito para ele me conquistar. Por falar nisso, ele e toda a família dele. É provável que eu goste mais da Alice, com toda sua empolgação, e Jasper mais do que o principal e mesmo que Rosalie não faça o tipo legal nesse volume, é difícil odiá-la. 

Não me agradou que a Bella, se achando comum e normal como não é, fosse logo chamada por metade dos garotos da escola de Forks para sair. Tá, não é bem assim, mas logo tem três convidando-a para ir ao baile. E também é incrível a capacidade dela de se machucar e conseguir cortes em lugares inacreditáveis. Mas tudo bem, isso é sério pessoal, se a Bells é a rainha dos arranhões e ferimentos, com certeza eu sou a rainha das manchas roxas, cinzas e afins. Me bato das maneiras mais estúpidas e em qualquer objeto, então compreendo. Às vezes ter um Carlisle por perto não seria nada mau, hehe.

Por último eu gostaria de avisar que infelizmente não vou conseguir resenhar os outros livros da série, me perdoem por favor, mas já estou em Eclipse, e posso adiantar que a qualidade deles não diminui em nada. Também faço um pequeno apelo a todos os potterheads ou qualquer outro leitor, para que deem uma chance a essa maravilhosa saga. Beijos!

Nota: 




Título Original: Suzanne's Diary for Nicholas

Autor(a): James Patterson


Editora: Arqueiro


Número de Páginas: 224


Ano: 2011







Sinopse: Depois de quase um ano juntos, o poeta Matt Harrison acaba de romper com Katie Wilkinson. A jovem editora, que não tinha qualquer dúvida quanto ao amor que os unia, não consegue entender como um relacionamento tão perfeito pôde acabar tão de repente. Mas tudo está prestes a ser explicado. No dia seguinte ao rompimento, Katie encontra um pacote deixado por Matt na porta de sua casa. Dentro dele, um pequeno volume encadernado traz na capa cinco palavras, escritas com uma caligrafia que ela não reconhece: “Diário de Suzana para Nicolas”. Ao folhear aquelas páginas, Katie logo descobre que Suzana é uma jovem médica que, depois de sofrer um infarto, decidiu deixar para trás a correria de Boston e se mudar para um chalé na pacata ilha de Martha’s Vineyard. Foi lá que conheceu Matt. E lá nasceu o filho deles, Nicolas. Por que Matt teria lhe deixado aquele diário? Agora, confusa e sofrendo pelo fim do relacionamento, é nas palavras de outra mulher que Katie buscará as respostas para sua vida. O diário de Suzana para Nicolas é uma história de amor que se constrói ao virar de cada página. Cada revelação é mais uma nuance sobre seus personagens. Cada descoberta é um fio a mais a ligar vidas que o destino entrelaçou.


O que eu achei do livro: Bom, era a última semana em que poderíamos retirar livros na biblioteca do meu colégio e por isso resolvi não começar nenhuma série, mas em contraponto li 4 livros únicos, haha. Não esperava muito quando decidi pegar O Diário de Suzana Para Nicholas, apenas ler mais uma obra, que com sorte teria algo a acrescentar. 

Suzana é uma médica que trabalha bastante, vive em uma cidade grande, sempre ocupada e estressada. Por isso, nem para a própria a surpresa é tão grande, quando ganha um ataque cardíaco. Após o incidente, ela decide mudar radicalmente de vida, indo morar em uma ilha, onde poderá relaxar mais e ter uma carga horária menor. 
Isso me fez refletir, embora não tão intensamente, como nós damos importância para coisas que, às vezes, podem esperar, nas nossas prioridades. Atualmente, parece que o trabalho é tudo o que importa, com familiares e a própria sociedade nos pressionando para escolher uma boa profissão, antes mesmo de sequer começarmos a trabalhar efetivamente. Ou seja, não precisamos sequer esperar entrar na faculdade para nos estressarmos. É um processo que inicia agora, talvez já tenha até começado.
A Suzana me mostrou que é importante trabalhar, sim, contudo não a ponto de viver para seu emprego. Necessitamos de tempo para cuidar da nossa saúde, tanto física quanto mental. Entretanto, esse nem foi o ponto mais importante do livro para mim, estou só divagando um pouco, rs. 
No geral, é uma obra muito tocante, um romance lindo de se ler. Um livro curto, li em uma manhã, um pouco mais e me emocionei. Eu entendi, embora não completamente a Suzana quando ela ainda estava grávida do Nicolas e teve que fazer uma cesariana, pois ela teve eclâmpsia e os dois quase morreram, isso porque minha mãe teve a mesma complicação comigo. A boa notícia é que todos sobrevivemos! Então, acho que podem compreender como eu me senti.
O único ponto fraco da obra mesmo é o final, tudo acontece muito rápido e meio certo demais, porém ainda fiquei com muita vontade de indicar para todos! Fugindo do assunto agora, me desculpem por não postar quase nada essa semana e não poder ter publicado isso ontem, estava em uma viagem. Obrigada pela compreensão, adoro vocês!

Nota: 

Faz pouco tempo que ouvi falar de Endgame e a primeira vez foi por um anúncio no skoob. O máximo que eu sabia sobre esse livro era a frase que ele continha na capa, por conta da propaganda, nunca havia lido resenhas ou visto alguém mencioná-lo, então deduzi ser um livro novo no mercado.
Como sempre, na minha procura por um booktrailer para postar hoje, acabei achando no canal da Intrínseca o dessa nova série, que vai fazer grande sucesso seja boa ou não, pois com minha curiosidade acabei descobrindo que o autor, James Frey, premiará com 500 mil quem desvendar o mistério do seu livro. Se eu entendi? Nem um pouco, mas já estou planejando em comprá-lo.
           

Além do livro, já existem várias contas de redes sociais vinculadas a Endgame, um jogo de videogame e mais. Podem conferir a notícia completa no G1, clicando aqui.
Mas esse não foi o motivo pelo qual eu escolhi o vídeo e sim porque, antes mesmo de saber da premiação para um mistério que eu não faço ideia de qual seja, me pareceu um livro promissor e interessante, uma mistura de The 39 Clues e distopias antigas com aliens, de ficção científica.
Se eu acabar por comprar o livro, tentarei participar dessa maluquice gincana toda, embora eu nem faça ideia do que precisarei descobrir, haha. Bem promissora a forma que o James achou de divulgar sua obra, não é?