Título Original: The Death Cure

Série: Maze Runner (Livro 3)


Autor: James Dashner


Editora: V&R


Número de Páginas: 364


Ano: 2012







P.S: Esse é o último livro da série que conta a história de Thomas e os Clareanos. 


Tirados do deserto pelo CRUEL, os garotos pensam que talvez tudo possa ficar bem. Porém no dia seguinte ao que chegaram na sede da instituição, descobrem estar passando pela terceira parte da experiência, novamente sem escolha. Thomas está sozinho, preso em um quarto branco sem nada para fazer, mas tenta não se deixar abater.

Depois de alguns dias, concluída essa parte da experiência, Janson, o cara de rato, avisa-o que já pode sair para tomar um banho e após isso ele o levará ao encontro de seus amigos, entretanto não deve tentar fugir. Terminada sua higiene, Thomas é conduzido a uma sala de reuniões. Lá ele fica aliviado pois encontra todos os seus amigos vivos e as outras garotas do Grupo B, inclusive Teresa, apesar de ainda estar desconfiado dela.

Logo em seguida ao reencontro, chega Janson. Diz que o CRUEL não fará mais nenhum teste com ninguém e devolverão suas memórias, pois assim que as receberem de volta irão querer colaborar com a instituição voluntariamente. Antes disso, ele lerá uma lista com o nome das pessoas não imunes ao fulgor, para que nenhuma se assuste com o fato quando recuperar a memória. Quando o homem chama o nome de Newt, Thomas fica sem chão.

Após isso Thomas, Newt e Minho acabam decidindo que não querem recuperar sua memória, contudo são enviados à força para um quarto de procedimentos. É lá onde Thomas encontra Brenda, e fica chocado ao ver a amiga trabalhando para o CRUEL. Ela porém explica a ele que no início realmente acreditava que o CRUEL era bom, entretanto agora eles não a deixam mais partir.

Por isso, antes de terem suas memórias apagadas, brigam com os guardas do cômodo e conseguem escapar até onde está Jorge, que descobrem ser também um agente do CRUEL, piloto de naves. Após procurarem em toda a instituição por seus outros companheiros, sem sucesso, os três decidem partir para Denver, uma cidade segura, aparentemente sem o vírus do Fulgor. Passarão por tantos perigos quanto no labirinto ou no deserto, porém agora contarão com a ajuda de outra organização, anti o CRUEL, o Braço Direito. E alguns amigos a menos.

Como podem ver ali em cima, eu especifiquei que esse é o último livro de Maze Runner, que conta a história de Thomas e os outros grupos. Daí vocês perguntarão, ué, mas a série não tem quatro livros? Tem sim gente, entretanto o quarto conta a história das explosões solares e de como o fulgor se espalhou pelo mundo, com outros personagens. Eu, quando li não sabia disso e fiquei totalmente transtornada após ler A Cura Mortal.

Se eu posso colocar de algum jeito esse é o menos melhor livro da série, haha, porque ele é muito bom também, mas foi o que eu menos gostei. 33,3% por ser o final da série, 33,3% pelo fato de eu não saber que era o último e 33,3% pela leve queda de qualidade na obra, comparada as anteriores.

Fiquei horas muito feliz com alguns acontecimentos, porém na maior parte do tempo eu estava angustiada ou chorando mesmo. Quando eu disse "alguns amigos a menos", foi um eufemismo para a morte de 2 personagens. Gostaria de xingar pessoalmente o James Dashner de todos os palavrões em inglês que eu conheço, mas né, não faria isso. Só posso dizer que para mim foi doloroso e muito, realmente não esperava. Tenho certeza absoluta que nem o Thomas sentiu a falta deles tanto quanto eu.

Por falar no próprio, se eu pudesse usar uma expressão facial para descrever o Tommy nesse livro seria uma grande franzida de testa, com direito a olhos apertados. James Dashner, o que você fez com o meu Tommy! Continuo adorando o personagem, mas ele me pareceu superficial, não sei, o James não se aprofundou tanto nas emoções dele nesse exemplar e isso me incomodou bastante. 

Gostei um pouquinho mais da Brenda nesse livro. Continuo achando ela uma personagem desnecessária, porém não estava mentindo (pelo menos dessa vez, né Brends?) ou enganando pessoas pelo CRUEL. O Minho foi um personagem com quem eu me dei ainda melhor, podemos ver rapidamente um outro lado dele, mais emotivo. Ah, para a minha grande alegria, vemos um antigo amigo nosso. Deixo em aberto para especularem à vontade, haha, não ia ter graça se eu falasse, mas eu tinha que mencioná-lo mesmo que indiretamente.

Provavelmente vocês querem saber algo sobre o final. Bem, não foi nada do que eu esperava, mas isso porque eu não esperava nada, não fazia ideia de como o James ia se safar daquela loucura toda, rs. Com certeza foi uma conclusão que precisava de uma melhora, achei rápida demais, entretanto até satisfatória.

Agora, para ser bem sincera, vou contar uma coisa para vocês: só dei cinco estrelas para o livro por ele ser o final da série e eu sempre sou legal com os finais. Contudo, se ele fosse o segundo, por exemplo, daria quatro, só de braba que fiquei com o James e alguns problemas com a história.
Então, vocês concordam? Me digam o que acharam do livro, ou para o caso dos que não leram, da resenha!

Nota: 

Olá! Notei que fazia algum tempo desde a última vez que postei uma Tag. Como vocês já devem saber, acho elas muito divertidas e interessantes de fazer, e por isso cá estou com uma uma Tag que tinha vontade de responder desde que criei o blog. Apenas não tinha feito isso antes porque minha estante era bem mais modesta antes de eu criar o Livros & Chantilly, haha.
A Tag é a Arco-Íris Literário, e a eu vi no blog Just Carol, que viu em outro blog, acabando que os criadores originais são gringos. Ela consiste em escolher sete livros, um para cada cor do arco-íris. A cor pode ser da lateral ou capa do livro. Vamos conferir?!

Poderia ter escolhido outros títulos, mas achei que assim ficou bem bonitinho o "arco-íris". Vou indicar a minha mais recente parceira, a Amanda, do Doce Literário para responder, porém adoraria se todos os que gostaram respondessem também. O que acharam? Quais seriam seus livros escolhidos? Não deixem de me contar!

Leitores do LC, eu não tenho certeza se curtem essa coluna aqui no blog, mas como é interessante e legal fazê-la, apesar de ser um pouquinho complicado, vou continuar com ela. Se quiserem dar uma sugestão de música que vocês achem que deveria estar nessa playlist também, ou a qual combine com a história, não deixem de me avisar, por favor!

O livro é Quimica Perfeita, da Simone Elkeles. Já faz bastante tempo que eu li, achei a história muito boa e nada extremamente clichê, ela apenas te deixa muito apreensiva em alguns momentos.



Sinopse: Os garotos do instituto Fairfiel, do subúrbio de Chicago, sabem que South Side e North Side não se misturam. Assim, quando a líder de torcida Brittany Ellis e o marginal Alex Fuentes são obrigados a trabalhar juntos como parceiros de laboratório na aula de química, os resultados prometem ser explosivos. Mas nenhum deles estava pronto para a reação química mais surpreendente de todas: O amor. Poderão romper os preconceitos e estereótipos que os separam?

É isso gente, feito com um pouco de pressa, mas com todo o carinho e expectativa de que vocês gostem! Caso ainda não tenham lido o livro, recomendo e se quiserem relê-lo, não deixe de checar a playlist aqui! Beijinhos ;*

Leitores compulsivos s. m. p.: querem sempre mais livros, não importa que tenham 194534,6 na chamada lista de leitura, a qual são adicionados em média doze novos títulos por dia e que provavelmente nunca chegará ao fim. Gastam seu dinheiro, que geralmente já é pouco devido a promoções na internet ou idas inesperadas à livrarias, e o dinheiro de outros para acumular ainda mais livros não lidos na estante.
A grande questão: nós leitores, fazemos sentido? Não, mas quem liga não é mesmo, se tem um sebo só esperando para ser explorado ali na esquina?! E aí vai minha sem-noção-listinha-de-livros, já que eu provavelmente não poderei efetivamente adquirir todos até estar trabalhando, rs, mas tentarei conseguir mesmo assim.





1. Trono de Vidro, Sarah J. Mass
2. Trono de Vidro: Coroa da Meia-Noite, Sarah J. Mass
3. Mentirosos, E. Lockhart
4. O Lado Mais Sombrio, A. G. Howard
5. Atrás do Espelho, A. G. Howard
6. O Sangue do Olimpo, Rick Riordan
7. Ladrões de Elite, Ally Carter
8. A Once Upon a Time Tale: Despertar, Odette Beane

Estou louca por Trono de Vidro, O Lado Mais Sombrio e Ladrões de Elite desde a primeira vez que li a sinopse. E não tem muito sentido querer o primeiro livro de uma série sem sua continuação, ao menos, não é? Já tinha falado para vocês de Mentirosos (é o We Were Liars) aqui e tchã-nan, dito e feito, está no Brasil! Sangue do Olimpo não vou nem comentar, pois li um pequeno spoiler, sem querer e agora já sei qual semideus morre. Acreditam nisso? Eu sou desastrada até na internet TODA UMA SAGA SEM A EMOÇÃO DE SABER O FINAL POR CAUSA DO MEU OLHO INQUIETO. Despertar quero ler para ter uma nova visão de uma das minhas série favoritas, Once Upon a Time.
Já leram algum desses? Haha, não esqueçam de deixar suas opiniões ^^

Hey gente! Ainda tendo o objetivo de por as colunas do blog em dia, hoje teremos um Top, com as capas mais bonitas representando lugares. É meio específico, eu sei, mas só tinha feito uma postagem assim e bem no início do blog. Teve uma boa recepção e como é legal de fazer, porque não repetir a dose né?
Só para esclarecer uma coisinha: os lugares não serão, por exemplo, alguma cidade (Nova York, Paris), mas sim espaços bonitos e tal. Espero que apreciem!


Desperta ao Amanhecer - C.C. Hunter
Não sei porque, mas tenho a impressão de que já comentei alguma coisa sobre essa capa com vocês. Enfim, acho ela simplesmente maravilhosa, provavelmente a mais bonita de toda a série Acapamento Shadow Falls. Adoro água e uma cachoeira linda dessas, então... me deixou com uma super vontade de me fazer um piquenique lá. Estranho, eu sei, porém não parece um lugar perfeito para fazer esse tipo de coisa?



Dividida - Amanda Hocking
Também sou fã de campos de flores, talvez porque nunca estive realmente em um. Posso até imaginar uma cena de filme, eu, num dia ensolarado, correndo no meio dos dentes-de-leão e eles se desprendendo atrás de mim, haha. Fiquei realmente feliz que deram um up nas capas brasileiras de Trylle. Não que as gringas não fossem bonitas, só não dá para comparar.



Quem Sabe um Dia - Lauren Graham
Amo cidades grandes. Eu sei, deve ser coisa de quem viveu no interior a vida inteira, em um lugar sem shopping ç.ç não consigo deixar de admirar bairros cheios de prédios altos, parques, toda a movimentação e outras lindas coisas de cidades maiores. Como essa ponte com o caminhódromo. Juro que gostaria de passar ali todos os dias, nem que fosse só para me sentar nos banquinhos e admirar a vista.


A Pousada Rose Harbor - Debbie Macomber
Gente, vocês acreditam se eu disser que quase comprei esse livro, 2 vezes, só por causa da capa?! Logo de cara achei linda, apenas por causa das rosas, mas analisem ela bem, apertem control+ até ela parecer minecraft, haha. Olhem aquele caminho, a casa em estilo mais antigo, o lago ao fundo, o gramado... tudo isso faz eu querer me mudar instantaneamente para lá.


A Casa das Orquídeas - Lucinda Riley
Se tivesse um prêmio para autores que tivessem as capas com lugares mais convidativos, certamente ele iria para a Lucinda. Para fazer esse Top, tive que descartar outras duas capas dela! Acabei escolhendo essa porque adoro jardins bem elaborados e cercas-vivas, e esses arcos dão um toque tão lindo. Imaginem só, nós, ávidos leitores, em um dia quente de verão, indo ler ali à sombra desse cantinho. Posso quase sentir a brisa, haha.



Foi difícil decidir quem ficaria e quem sairia do post, afinal tem tantos belos lugares ilustrados em livros por aí. Gostariam de estar ou (vamos sonhar alto) morar em um desses locais? Se não, tem outros ambientes que vocês admirem? Sei que amaria visitar eles todos! Beijinhos, vou ali aparatar e só volto terça.

Título Original: The Scorch Trials

Série: Maze Runner (Livro 2)


Autor(a): James Dashner


Editora: V&R


Número de Páginas: 400


Ano: 2011



Após serem resgatados do laboratório do CRUEL por pessoas que eles assumem ser rebeldes, e levados para um lugar longe de lá, Thomas e os outros clareanos pensam que estão seguros. Porém, quando acordam no dia seguinte veem como estavam enganados. Alem de os garotos terem dormido separados de Teresa, seus salvadores não estão mais lá e do lado de fora das janelas do quarto, há pessoas querendo entrar. Esses seres, na verdade, já foram uma vez humanos, mas agora estão acometidos com o Fulgor, um vírus que atinge e depois de um certo tempo deteriora o cérebro, fazendo o indivíduo enlouquecer.

Saem do quarto com esperanças de encontrar uma saída e o CRUEL mexe com seus sentidos, mas acabam encontrando o cômodo onde Teresa deveria estar. Do lado de fora da porta, porém, Thomas vê uma placa, onde está escrito "A traidora". Assim como ela, os outros clareanos também receberam designações, sendo Minho "o líder" e Thomas "destinado a ser morto pelo grupo B".

Antes que possam refletir melhor sobre suas descrições porém, entram no quarto que deveria ser de Teresa e escutam um barulho vindo do banheiro. Thomas fica aliviado, pois desde a noite passada não conseguia falar com ela por telepatia, mas grande é a surpresa quando um garoto sai do banheiro, ao invés de sua amiga. Logo os outros clareanos já estão lá para investigar quem é o intruso.

Ele diz chamar-se Aris, o único garoto do Grupo B. Após conversarem, chegam a conclusão de que a mesma experiência que foi feita com todos os clareanos e a chegada de Teresa, também foi realizada com um grupo de garotas e então o surgimento de Aris.

Após os choques iniciais, os garotos são confrontados por um homem, o qual apelidam de Cara de Rato. Ele lhes diz que precisam começar a segunda parte da experiência e para isso deverão atravessar um transportal, partindo para o deserto. 

Sem outra opção, Thomas e  seus amigos embarcam em mais uma perigosa viagem, tendo também o objetivo de localizar Teresa e descobrir mais sobre o CRUEL e suas intenções. Para ajudá-los a atravessar o deserto, os clareanos terão a companhia de Jorge e Brenda, dois cranks que foram deixados lá para sucumbirem à sua doença.

Esse livro foi tão bom quanto o primeiro, talvez um pouquinho mais parado, porém isso deve ser só impressão minha. Em Correr ou Morrer os clareanos já haviam descoberto algumas coisas sobre o mundo lá fora, porém agora verão tudo com seus próprios olhos. Conhecem os cranks, descobrem o que é o Fulgor e porque é tão ruim e são avisados pelo Homem-Rato que estão infectados, na verdade ele usa isso como um "incentivo" para os garotos atravessarem o deserto.

Se tem um sujeitinho que eu acho nojento e maluco nessa história, com certeza é o cara de rato. Totalmente obcecado pelo que almeja, ele é quase um psicopata.

A Brenda e o Jorge tem um espaço considerável neste volume e a garota é uma possibilidade amorosa para Thomas. Já vou logo falando que não gosto dela, a personagem não me convenceu. Além de não combinar com o Thomas, é muito suspeita, mas é por um episódio relatado no fim do livro, então não posso falar nada, apenas não confiem nela. Agora o Jorge é aquele cara autoconfiante e com um semblante aterrorizante, mas no fundo um bom companheiro.

Os clareanos, amados do meu coração, continuam unidos e lindos. Sofrem algumas perdas, mas nenhum personagem vital. O Minho mais desbocado do que nunca, o Newt tão amorzinho quanto sempre e o Tommy, bom, ele não evoluiu muito. Vejam bem, ainda o adoro, mas estou achando ele meio inocente, devido a tudo que passou deveria ter ficado mais ligado/esperto. Porém ele ainda é bastante influente e querido. 

Continuo recomendando infindavelmente essa série maravilhosa! Só imagino como os fãs (incluindo-me, claro, haha) estão se sentindo com a adaptação desse livro, já anunciada para setembro do ano que vem! 

Nota: 

Oi leitores! Hoje quando cheguei em casa, tive uma surpresa bem legal. Já estava plugando meu notebook na tomada quando minha mãe diz que chegou um livro de "uma Thais, de Minas". Logo eu sabia que era da minha fofíssima autora parceira! O livro é "O Ciclo da Morte" o qual eu já tinha falado sobre aqui, mas agora podem conferir as fotos abaixo:





(Aproveitem que tem promoção especial de Halloween, viu?!)

Adorei a dedicatória/autógrafo. Vai dizer, não é uma gracinha? :3
Não pretendo demorar para postar a resenha, porém sabem como a vida de um leitor é recheada de novidades e "quero esse", "meus deuses olha aquele", haha, ainda mais que pretendo começar uma série nova agora, a The 39 Clues.
Ah, gente, não esqueçam, o sorteio dos marcadores (2 autografados e 1 não) desse livro está em seus últimos dias! Para participar, é só acessar essa postagem.
Super beijos, adoro muito todos vocês!

Faz algum tempo já, que eu não crio uma coluna nova para o LC. Embora eu saiba que há muitos tipos de postagens por aqui, decidi criar mais um ou uns, me aguardem, pois o meu objetivo com o Blog sempre foi falar de várias coisas a ver com livros, sejam filmes, músicas e o exemplo de hoje, arte. E isso dá muito material. 
Como eu queria que esse fosse um blog exclusivamente literário, criei diferentes tipos de postagens para incluir outras coisas que eu gosto, como a playlist, o DIY, booktrailer, etc. E sim, pretendo falar sobre adaptações literárias! Enfim, é muito pano para a manga, haha, mas eu gosto de variar também.
Hoje então, o assunto são as fanarts! Ah, os maravilhosos e incríveis desenhos sobre sua série, livro ou ship favorito. Quem não se derrete por uma bela fanart do seu OTP? E para começar essa coluna em grande estilo, as imagens de hoje serão da saga Percy Jackson, que tem umas das mais incríveis ilustrações feitas por fãs, na minha opinião.
Porém, pessoal, nenhuma dessas ilustrações são minhas, viu?! A maioria é da linda da Viria. Quem me dera saber desenhar assim...

























Acham que faltou Percabeth? Rs.
Provavelmente as postagens ficarão assim compridas mesmo, mas se vocês gostarem, por mim está ótimo. Não deixem de me dizer o que acharam, beijão!

Como já tinha dito nessa postagem, minha cabeça avoada e o tempo que passa extremamente rápido, me impediram de lembrar que já era outubro e postar o booktrailer do mês.
Mas não se aflijam, hoje, cá estou eu, para me redimir com esse vídeo muito legal, o qual além de me deixar ainda mais curiosa para saber a história toda, é baseado em um livro que eu amo: Alice no País das Maravilhas. Curtam agora então, o booktrailer de O Lado Mais Sombrio, por A. G. Howard.

           

Uma coisa que já me chamou a atenção logo de cara, além da sinopse, claro, é que a continuação já está no Brasil. Ou seja, sem meses/anos torturantes esperando para saber como irá terminar aquele livro tão incrível. Posso adiantar que esse segundo título da série, Atrás do Espelho, tem uma capa igualmente linda e também podemos ficar na espera, pois um terceiro vem por aí.
Tchauzinho, tenho que ir seguir o coelho branco antes que ele suma!

Título Original: The Maze Runner

Série: Maze Runner (Livro 1)

Autor(a): James Dashner

Editora: V&R

Número de Páginas: 426

Ano: 2010



Boa tarde people, tudo bem? Perdoem minha demora, aqui vai a resenha!

Thomas acorda dentro de um elevador sem se lembrar de absolutamente nada, a não ser seu nome. Ele está subindo e depois de algum tempo, o elevador para com um solavanco. Thomas ouve vozes e grita por ajuda. As portas, então, são abertas por cima e ele vê vários garotos, os quais o ajudam a sair de lá.

Absolutamente atordoado e, como não podia deixar de ser, com medo, a única coisa que Thomas quer saber é que lugar é aquele onde está e como, porque, foi parar ali. Dando uma olhada ao redor, ele percebe que está em um campo aberto, com uma casa, a sede, algumas plantações e uma construção perto de onde saiu. Ele não reconhece nada nem ninguém, mas isso não é nem de longe o maior de seus problemas. O gramado está cercado por imensas paredes cinzas, com portões em cada uma delas.

Quem o recebe são Alby e Newt, os líderes da Clareira, como chamam o campo. Dizem que Thomas deve primeiro conhecer o lugar e descansar, para no próximo dia ter algumas respostas. Contrariado, ele se vê obrigado a dar um passeio pela clareira com Chuck, o agora ex-novatofedelho

Porém o garoto é o primeiro a lhe dar informações: nenhum outro clareano sabe onde estão e o porque, mas se empenham em sair dali. O problema, é que as paredes que Thomas havia visto antes, são o lado de dentro de um labirinto gigantesco, os garotos estando bem no meio dele, sempre procurando por um modo de escapar.

Após andar pela Clareira com Chuck, e arranjar um inimigo, Gally, por causa do garoto, Thomas vai dormir. No outro dia é acordado cedo por Newt, que lhe conta mais algumas coisas sobre o labirinto, como que é proibido ficar lá a noite, após as portas fecharem, por causa dos verdugos, monstros mecânicos mortais, e mesmo de dia só os corredores podem entrar. Ele quer saber mais sobre quem são os corredores, os encarregados de tentar achar uma saída do labirinto, pois não consegue tirar da cabeça a vontade de ser um, mesmo sabendo dos perigos.

Nesse mesmo dia, algo inesperado acontece: soa o alarme da caixa, de onde vinham outros garotos para a Clareira, regularmente uma vez por mês. Mas desta vez, quem os clareanos encontram é uma garota, Teresa, e ela vem com uma mensagem em um papel, que irá mudar tudo. "Ela é a última".

Gente, esse livro é maravilhoso. Tem ação do início ao fim! Quando achamos que podemos ficar tranquilos e enfim parar para respirar, BAM, acontece alguma coisa. O fim de cada capítulo então, nem se fala, espere sempre por algo surpreendente/desnorteante. Fazia tempo que eu não lia algo que me deixasse tão cheia de adrenalina.

Eu desenvolvi uma ligação muito forte com os garotos da clareira. Thomas, Minho e principalmente Newt são meus xodós. No início tinha um pé atrás com o Gally, mas acabei adotando ele para o meu coração também. Agora, eu não me apeguei a Teresa, achei ela chata e até meio desnecessária, uma personagem levemente superficial. Do Chuck eu não esperava nada, porém ele foi realmente importante para uma parte da trama.

O Thomas é muito querido, se preocupa com seus amigos e acho que tem uma grande capacidade de liderança, embora prefira ficar um pouco nos bastidores. Não tem certeza de seus sentimentos por Teresa, mas eu garanto ser só amizade (não é ciúme do Tommy, Ok?). 

Mudando um pouco de assunto, na Clareira os garotos tem um vocabulário próprio, que primeiramente me deixou chocada e logo em seguida me fez sair falando igual para todo mundo, haha. Mértila e trolho são certamente duas das minhas palavras favoritas depois de ter lido Maze Runner.

Ainda não olhei o filme, mas é um dos meus objetivos agora. Infelizmente, pelo que eu vi no trailer e também ouvi pelas minhas amigas, os roteiristas mudaram várias coisas começando pelo próprio labirinto, o que me deixou realmente braba. Deu vontade de ir lá e mandar eles (re)lerem o livro do James.

Bom, só resta falar novamente o quanto esse livro é incrível e como eu recomendo ele a todos. Beijos!

Nota: 

Olá! 
Bem, lembram que eu prometi resenha, né? Mas, como nem um lembrol me ajudaria a não esquecer as coisas na verdade não serve para nada aquele treco mesmo, hoje é dia de livro do mês. E pasmem, eu esqueci de postar o booktrailer do mês quarta (sai na próxima, Ok?). Até usaria meu vira-tempo, mas pena que coisas ruins acontecem com bruxos que mexem com o tempo...



Título Original: Da Questo Libro Presto un Film

Autor(a): Simona Toma

Editora: Fundamento

Número de Páginas: 256

Ano: 2014




Sinopse: Toni é uma garota de 18 anos que vive em Milão com a família (e com um gato muito louco). Ela adoraria que a vida fosse como em um roteiro de cinema: tudo no lugar certo, na hora certa e com a pessoa certa. O problema é que no mundo real o roteiro é sempre inesperado e cheio de surpresas. E Toni e suas amigas, Clementina e Matilde, vão viver dias bem agitados. 
Quando Toni conhece Filippo, descobre o que quer dizer a expressão "amor à primeira vista", bem do jeitinho que só acontece nos filmes. E vai ser justamente no cenário caótico de um set de cinema que Toni viverá o seu momento de diva. Filippo é assistente de direção de um filme, então só resta a Toni - com Clementina e Matilde - participar das filmagens... E, em meio a atrizes neuróticas, figurinistas paranoicos e um diretor de cinema temperamental, ela terá a chance de escrever mais algumas linhas da sua história. 
Mas no cinema o que parece realidade é apenas ficção. Será assim com a paixão de Toni? Venha curtir essa história de amor (e algo mais) em um ensolarado verão italiano, pois o filme só espera você e sua turma para começar: luzes, câmera, e... ação!

O que eu achei do livro: gente, primeiro eu quero dizer que eu não estou falando desse livro aqui porque eu o adorei, mas sim, pois não deu para mim ler tanto quanto gostaria esse mês e também acharia interessante vocês conhecerem-no mais.
A premissa do livro é muito boa. É diferente e interessante, além de que se passa em Milão, um diferencial para quem está enjoado de Estados Unidos/Londres, porém não foi uma história muito original. A tradução não ficou muito boa, acho que foi um pouco literal e o enredo meio forçado em certos momentos, o que tornou a leitura entediante, demorei uns 6 dias para lê-lo. Também achei que alguns acontecimentos foram forçados.
Não gostei muito da ora banalidade ora super importância com que as personagens principais tratam seus relacionamentos. E uma coisa bem idiota, mas que me incomodou, foi o fato do cara por quem a Toni se apaixona ter um bigode (sério, Simona, sério? Não importa se ele tem 25 anos). As vezes, também parece que ela e Matilde tem uma amizade por conveniência, pois não vi nada de verdadeiro naquela relação. As duas se picam o tempo todo.
Toni mora com a mãe e os avós, sem contar os bichinhos de estimação. Se bobear, foram dos velhinhos que eu mais gostei, haha. O avô dela está sempre escutando aulas para aprender a falar inglês e sua avó tem um blog, com a ajuda de Clementina, onde posta algumas receitas. Resumindo, os dois são uns queridos.
Apesar  do que possa parecer, o livro não é de todo ruim e teve seus momentos bons, até deu para rir um pouquinho. Os dois atores principais do filme que a Toni, Clementina e Matilde estavam participando, literalmente roubaram a cena, mesmo sendo com aqueles dramas de celebridade. Ah, e a capa é uma graça, com detalhes em alto relevo que eu adorei.

Nota: 

Amados, primeiro de tudo, me perdoem por estar postando tão pouco, essa semana foi bem cheia. Prometo que vou fazer o possível para retomar o ritmo das postagens logo, logo. Agora, como estão? Espero que mais relaxados do que eu, haha. Hoje vou atualizar a Minha Estante, porém pretendo que a minha próxima postagem seja uma resenha!
Minha criatividade não está em seus níveis mais altos ultimamente, mas com o tema nomes consegui fazer uma bela baguncinha, de tanto puxa livro daqui, puxa livro de lá, deixei alguns "buracos" nas prateleiras, haha. Me perdoem pelas fotos de última hora também, juro que são de coração.


Uma coisa interessante é que eu li apenas 4 desses livros, Alice, Perdão Leonard Peacock, Isaac Newton e sua Maça e Os Contos de Beedle o Bardo. Estou quase começando a pensar que a minha mãe tem razão e eu não deva mais comprar livros por enquanto. Isso irá durar, provavelmente, até a próxima boa promoção do Submarino/Saraiva/Americanas, rs.
Alguém aí tem algum desses ou algum outro livro com nomes de pessoas? Adoraria conhecê-los. Por hoje é só, mas prometo voltar sábado. Beijos e não esqueçam de deixar seus comentários!

Atualização 02/10: A blogueira que vos fala é muito lesada e esqueceu, simplesmente, de toda a coleção Harry Potter, Robin Hood e Beowulf, mas também é preguiçosa para retirar todos os livros da estante novamente e tirar novas fotos.